5 pontos importantes sobre a gestão financeira hospitalar

2021-02-04T12:51:12-03:00 04/02/2021|

A gestão financeira hospitalar sempre foi bastante complexa. Os hospitais precisam pagar por todos os equipamentos, medicamentos, roupas de cama e qualquer outro item e ainda administrar a remuneração do corpo clínico e dos profissionais da área administrativa.

 

Mas isso ainda é apenas uma parcela do que acontece rotineiramente nas instituições da área da saúde, porque as organizações operam como qualquer empresa. E como se não bastassem essas questões a serem resolvidas, a pandemia da Covid-19 trouxe ainda outros desafios.

 

Entre eles estão o aumento dos preços com insumos e serviços utilizados pelos hospitais, o crescimento real no consumo de produtos como álcool, gases medicinais, etc. e a dificuldade no controle de estoques.

 

Isso sem contar que a captação de recursos também foi prejudicada por conta da suspensão de atividades eletivas e também por causa do Decreto-Lei nº 13.992, que permitiu a cobrança pela média do faturamento, de forma linear, sem acompanhar a alta dos valores dos suprimentos no mercado.

 

Por tudo isso, um processo de gestão financeira faz-se cada vez mais necessário para ajudar os hospitais a se reorganizarem no pós-pandemia.  Mas você sabe como ela deve funcionar?

 

 

Gestão financeira hospitalar

 

A principal função da gestão financeira hospitalar é gerenciar os gastos, custos e investimentos de forma a alcançar as metas estabelecidas. Quando uma instituição de saúde possui um plano forte e organizado, é muito mais simples diminuir desperdícios com controle de custo mais efetivo e aproveitar os recursos de forma mais assertiva à assistência e ao cuidado do paciente.

 

A tecnologia é uma aliada muito estratégica para este processo. Ela permite reunir informações confiáveis, analisar dados e planejar decisões. Um sistema de gestão hospitalar é fundamental para a operacionalização da gestão financeira.

 

O software de gestão hospitalar da Wareline possui uma estrutura de módulos focada no Financeiro, desenvolvidos para auxiliar o administrador a atuar de maneira estratégica e segura.

 

Ele disponibiliza ferramentas de gestão integradas para manter o planejamento em dia, para controlar melhor os custos e eliminar desperdícios, para monitorar estoque hospitalar e fazer uma correta gestão de fluxo de caixa — algo imprescindível no momento de pós-pandemia.

 

 

5 itens da gestão financeira hospitalar

 

Levantamos os 5 principais pontos sobre o sistema de gestão hospitalar que todo profissional que atua no departamento financeiro na área da saúde precisa conhecer para executar um trabalho bem-sucedido, em especial em situações críticas como a crise sanitária que estamos vivendo.

 

 

 

 

 

 

 

Além dos cinco pontos acima, destacamos um sexto item bônus, referente aos relatórios gerenciais.

 

  • Toda movimentação deve ser feita em tempo real. E de maneira integrada aos módulos Estoque, Faturamento e Glosas e Repasse, viabilizando informações atualizadas e relatórios confiáveis;
  • Movimentações podem ser acompanhadas por meio dos relatórios dos módulos:

 

– Contas a Pagar: inclui Contas a Pagar, Pagamentos, Adiantamento a Fornecedores, Retenção de Impostos e Rateio de Despesas;

– Contas a Receber: Contas a Receber, Recebimentos, Adiantamento de Clientes e Rateio das Receitas;

– Banco/Caixa: Extrato Bancos/Caixa Saldo Real e Conciliado, Resumo de Caixa e Posição de Caixa;

– Controle: Controle de cheques, cartões e CNAB;

– Repasse Médico: Demonstrativo e Espelho dos pagamentos de médicos;

– Relatórios Gerenciais: Consumo por Centro de Custo, Fluxo de Caixa e Resumo Financeiro.

 

Manter as finanças sob controle é fundamental — em situações de pandemia ou não. A Covid-19 apenas mostrou que os obstáculos envolvendo o setor sempre existiram, mas se tornaram ainda mais latentes.

 

Agora ficou ainda mais em evidência que, se o profissional do setor financeiro puder contar com informação da liquidez diária, terá mais embasamento para ajudar os gestores a tomarem decisões de forma ágil.

 

Além disso, o controle do planejamento orçamentário faz com que as instituições de saúde estejam preparadas para o pós-pandemia de forma a terem processos bem definidos e custos previsíveis, o que é possível com um bom sistema de gestão hospitalar. Conheça o Conecte/W e tenha uma gestão financeira mais eficiente!

 

 

Texto originalmente publicado em 25/10/2018.

Envie sua mensagem via WhatsApp