Telemedicina: como torná-la uma melhor experiência para médicos e pacientes

2020-11-17T10:37:11-03:00 19/11/2020|

Grande parte dos médicos já estava acostumada a fazer algum tipo de atendimento remoto antes mesmo da pandemia do novo coronavírus. Seja por e-mail, ligação de telefone, mensagem no whatsapp ou até mesmo pelas redes sociais.

 

Mas a instituição formal da telemedicina no Brasil e toda a adequação exigida tornou essa tarefa mais desafiadora — até mesmo para quem já estava relativamente acostumado com alguns modelos remotos. Isso porque, ao contrário do que ocorria no cenário pré-pandemia, agora as consultas médicas online se tornaram a maneira mais certeira e eficiente para não haver riscos relacionados à Covid-19. E a Telemedicina exigiu governança das instituições de saúde, cumprimento de protocolos e um preparo diferenciado dos profissionais envolvidos.

 

Quando falamos em preparo, usamos o sentido amplo da palavra: preparo em entender o novo comportamento do paciente, em ter estrutura física para uma consulta de qualidade e, acima de tudo, em contar com ferramentas tecnológicas que garantam a segurança de dados e o proveito do atendimento.

 

Por mais que as mudanças já tenham ocorrido há vários meses, a tendência é que se mantenham por um bom tempo — e até se tornem permanentes em um cenário pós-pandemia.

 

Se você é médico e atende em algum hospital, agora pode contar com mais essa facilidade via sistema de gestão hospitalar da Wareline. Então listamos dicas de como o atendimento por meio da telemedicina pode ser o mais profissional e eficiente possível, ainda mais contando com o auxílio do nosso sistema de gestão hospitalar na sua instituição de saúde.

 

 

  1. Compense a ausência física

 

A experiência de um atendimento remoto pode ser bastante nova para um paciente, ainda mais para aqueles que não têm tanta familiaridade com aparatos tecnológicos. Isso pode provocar certo afastamento, porque a comunicação online acaba sendo diferente pela falta de contato físico.

 

O profissional da saúde pode ajudar neste processo e compensar a ausência física com empatia. A sugestão é começar a consulta se apresentando e estar disposto a ouvir o paciente com atenção e falar com mais calma e de maneira pausada.

 

Também é importante prezar pela gentileza, pela atenção e estabelecer um diálogo a fim de que a consulta não se torne apenas um interrogatório.

 

 

  1. Dedique seu tempo

 

Durante o atendimento presencial, o médico consegue pistas sobre o estado de saúde ou percepção do paciente por meio da comunicação não-verbal. Com a consulta médica online, identificar sinais e emoções pode exigir uma sagacidade maior. Por isso, a dica é para tentar separar um tempo maior para as consultas a fim de conseguir detectar esses sinais.

 

 

  1. Use uma plataforma segura e eficiente

 

Por mais que plataformas como Skype, Zoom, WhatsApp e Messenger sejam práticas para videoconferências e/ou troca de áudios e mensagens no dia a dia, elas não possuem a segurança exigida para o atendimento médico.

 

Para não infringir normas do Conselho Federal de Medicina (CFM), nem da LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), é importante contar com um sistema desenvolvido por profissionais especialistas em segurança de dados.

 

Além disso, o sistema deve estar alinhado às necessidades dos pacientes e dos profissionais envolvidos. Tem que ser intuitivo de modo a facilitar o atendimento e torná-lo produtivo e eficiente.

 

 

  1. Considere a experiência do paciente

 

Uma das principais características do atendimento humanizado é a personalização, é entregar uma experiência única para o paciente. E vale lembrar que a experiência do paciente não é apenas aquilo que ele considera sobre o atendimento — presencial ou remoto. Na verdade, a experiência começa ainda no processo de agendamento e vai até o pós-consulta.

 

Por isso é essencial contar com ferramentas de tecnologia que facilitem o agendamento de consultas, que emitam lembretes de confirmação e que possibilitem ao paciente marcar o atendimento de qualquer lugar e hora que quiser. Já no pós-consulta, é válido o envio de mensagens personalizadas.

 

 

Telemedicina: sistema de gestão da Wareline

 

Assim que a pandemia começou, antes mesmo de chegar ao Brasil, a Wareline já entendeu que o sistema de saúde brasileiro passaria por uma revolução. E desde então começou a focar em adaptar o sistema para essa nova dinâmica do atendimento no País.

 

O intuito sempre foi facilitar a rotina das instituições de saúde, mostrar como lidar com esse novo cenário e contribuir para uma saúde mais eficiente no Brasil — a nossa principal missão.

 

Já estávamos nos preparando para a telemedicina e adaptamos certas funcionalidades do sistema para agilizar o atendimento que nossos clientes prestam. O módulo PEP WEB, que reúne todas as informações dos pacientes, foi um dos que teve suas funcionalidades ajustadas para permitir melhor interação entre médico e paciente durante a teleconsulta. Remotamente é possível realizar atendimentos pré-clínicos, suportes assistenciais, consultas, monitoramentos e visualização de diagnósticos.

 

Você que é médico e atua em uma instituição de saúde cliente da Wareline pode, durante as consultas médicas, acessar as configurações de microfone e áudio, contar com a segurança de dados, compartilhar tela e ainda ter acesso aos dados dos pacientes na tela do computador.

 

Se ainda não é cliente, fale com nossa equipe. Tudo isso tornará sua experiência— e do seu paciente — o mais produtiva, objetiva e clara possível – confira a edição especial da Revista ConecteInfo que traz todas as informações sobre essa modalidade de atendimento.