Dia do Nutricionista realça papel estratégico do setor aos hospitais

2020-08-27T09:11:33-03:00 27/08/2020|

Todos os setores de uma instituição de saúde são interligados. Assim, pensar em departamentos estratégicos é fundamental para quem busca uma gestão mais estratégica. Um dos setores que merece atenção neste sentido é o de Nutrição Hospitalar, que quando bem estruturado e acompanhando indicadores específicos, torna-se determinante para um melhor controle de custos, para maior segurança do paciente e para tomadas de decisão mais assertivas por parte de administradores hospitalares.

 

Aproveitamos que o Dia do Nutricionista é celebrado em 31 de agosto e convidamos dois profissionais do setor que atuam em nossos clientes para contar sobre os desafios da profissão. A seguir, Gislaine Roberta Verdiano Guerzoni, nutricionista clínica da Fundação Padre Albino, em Catanduva (SP), e Eduardo Campos Ferreira, coordenador do serviço de nutrição e dietética do Hospital Municipal de Araguaína (TO), contam como organizam processos dentro da área. Acompanhe!

 

 

Nutrição hospitalar

 

O Dia do Nutricionista é uma oportunidade para enaltecer o papel fundamental que esses profissionais exercem no âmbito hospitalar. São eles que cuidam da elaboração de cardápio e monitoramento do estado nutricional de todos as pacientes internados. E também é responsabilidade deles o cuidado com os alimentos e todos os processos de preparo, bem como sua higiene.

 

Assim, entre suas atividade estão a melhora na alimentação dos pacientes, elaboração de dietas específicas e fornecimento de educação nutricional, bem como contato entre a distribuidora de alimentos e hospital, e pelo controle de qualidade dos produtos.

 

 

Objetivo alcançado na escolha da profissão

 

As motivações de Roberta para a escolha da profissão foram ajudar as pessoas a terem um estilo de vida saudável e conseguir impactar suas vidas com o cuidado centrado na alimentação e no bem-estar. Atuando em hospitais há seis anos, Roberta afirma que tem atingido seus objetivos todos os dias.

 

Para Eduardo, que está há quatro anos trabalhando na área hospitalar, a profissão permite poder olhar o paciente de forma única e entender que o “cliente” necessita de cuidados ainda mais personalizados e emergenciais — a depender do quadro clínico.

 

 

Os desafios e as alegrias

 

Conseguir atender a todos os pacientes que precisam de atendimento nutricional de forma rápida e precisa inclusive é um dos desafios que os profissionais encontram no ambiente hospitalar. “Mas ver um olhar de gratidão do paciente e sua recuperação é muito gratificante”, conta Roberta.

 

Eduardo faz coro à afirmativa e acrescenta que conhecer toda a história de vida dos pacientes, acompanhar os progressos e conquistas é o que motiva a sempre desempenhar sua função com maestria. Mas cita um outro desafio, que é a busca pela união entre os profissionais de nutrição, uma vez que a demanda por cuidados com a saúde tem aumentado cada vez mais. “Antigamente não se falava muito em nutricionista, hoje muitos pacientes chegam até a gente porque médicos como endocrinologistas, clínicos, cardiologistas, entre outros, indicaram. Afinal, a nossa saúde está diretamente ligada à alimentação”, comenta.

 

 

Nutrição hospitalar estratégica

 

Todos os departamentos hospitalares são responsáveis por um melhor dimensionamento dos custos da instituição. Esse também é um papel da Nutrição. Como ela é de extrema importância na recuperação do estado nutricional do paciente, contribui para a cura e/ou o seu restabelecimento, reduzindo o tempo de internação. Ou seja, impacta diretamente na gestão das instituições de saúde.

 

Também é por meio de um maior controle que é possível reduzir o desperdício de alimentos. Com uma gestão feita de perto, é possível calcular bem a quantidade de alimentos, o número de internados e suas particularidades nutricionais, evitando sobras e sendo certeiro nas dietas dos pacientes.

 

Um outro fator dá ainda mais importância à gestão estratégica da área: segurança do paciente. Como as dietas são individualizadas e baseadas nas prescrições feitas no prontuário do paciente, sendo acompanhadas de perto e com identificação de etiquetas para evitar qualquer troca.

 

“Um correto gerenciamento do setor contribui para controlar os custos e reduzir desperdícios. A boa gestão está ligada à definição de metas, análise da produção de refeições, acompanhamento das refeições dos comensais e padronização de preparações”, diz Eduardo.

 

Roberta concorda. “Para que essa gestão estratégica do setor seja colocada em prática, é preciso criar indicadores, defini-los com qualidade e fazer o monitoramento com metas. Se os indicadores apresentarem os pacientes desnutridos, por exemplo, podemos realizar atendimento individual de forma rápida e humanizada”, reforça.

 

 

Tecnologia é GRANDE aliada

 

Quando está tudo informatizado, os profissionais da área têm em mãos informações que vão desde qual a dieta do paciente até o número de internados. Com o acesso a esses dados, o setor pode comprar o necessário para atender a demanda, focando em eliminar o desperdício, colaborar para uma melhor gestão do custo, na medida em que o investimento é feito no que é realmente necessário, e tem mais assertividade e qualidade na entrega das refeições aos seus pacientes.

 

Assim, o sistema de gestão hospitalar permite o melhor controle do setor de nutrição das instituições de saúde. “Com um sistema preciso, mostrando a dieta prescrita do paciente, são reduzidos os erros na hora de servir a alimentação. Isso também contribui para a própria produção das refeições”, completa Roberta.

 

 

Módulo Nutrição

 

A Wareline conta com o módulo Nutrição, que atende as especificidades do setor, com o intuito de proporcionar melhor controle e assertividade do que é produzido e entregue aos pacientes. Na ferramenta é possível cadastrar:

 

– Tipos de dietas;

– Alimentos por grupos, medidas e alimentos compostos;

– Tipos de refeição e seus respectivos horários;

– Cardápio, incluindo pratos e alimentos;

– Cozinhas;

– Indicadores nutricionais;

– Avaliação nutricional com cálculo de IMC;

– Grupos de avaliação;

– ANSG: Avaliação Nutricional Subjetiva Global.

 

Os profissionais de nutrição e gestores também podem movimentar as fichas de anamnese do paciente, bem como as refeições servidas por setor, o consumo e o censo de dietas e prescrições. E com base em todas as informações do sistema, conseguem extrair relatórios e emitir etiquetas.

 

O módulo da Wareline é mais uma solução desenvolvida de modo a contribuir com as instituições de saúde na otimização de rotinas, diminuição de custos e tomada de decisões. Os mais de 30 anos acompanhando a rotina hospitalar fez com que ganhássemos olhar apurado para todos os setores estratégicos das instituições de saúde.

 

E sabemos que a nutrição é um deles. Que além de visar a segurança alimentar, prevenção e manutenção da saúde, também contribui para uma melhor gestão, com diminuição de custos e redução de desperdícios.

 

Parabéns, nutricionistas, pelo seu dia! E obrigado!