Uma celebração ao Dia do Radiologista e às evoluções no setor

2020-11-03T14:57:16-03:00 05/11/2020|

Há 3 meses, em plena pandemia, Carla teve um acidente doméstico e fraturou o pé. Por conta do receio em procurar um hospital que poderia estar cheio de possíveis infectados pela Covid-19, optou por uma clínica de ortopedia. Chegando lá, enquanto esperava aflita pelo atendimento, ouviu uma conversa entre uma avó e sua neta de 15 anos. “Na minha época, quebrar qualquer osso era um martírio. Não fosse pela dor, ainda precisávamos carregar a “chapa” e aqueles laudos com letra de médico para cima e para baixo. Agora a modernidade chegou e tudo fica ali, na tela do computador”, disse num misto de saudosismo e admiração.

 

Carla parou para refletir e a senhora não poderia estar mais certa: os tempos mudaram e trouxeram avanços incríveis para a medicina. Na radiologia, a “chapa” ou raio-x traz mais detalhes de possíveis lesões, os laudos e imagens são digitalizados, e os diagnósticos e tratamentos são ainda mais assertivos, o que permite uma melhor recuperação. Se for necessária uma segunda opinião, outros médicos também podem consultá-lo e as informações ainda são disponibilizadas no Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP). Essas e outras facilidades, por mais que tenham sido desafiadoras para quem interpreta e controla o departamento nos hospitais, realmente revolucionaram o setor do diagnóstico por imagem.

 

A radiologia de hoje evoluiu e Carla se sentiu privilegiada em poder usufruir disso – apesar do membro fraturado. A estória de Carla e de tantos outros pacientes se repete pelo país. E mais do que uma evolução clínica, a radiologia é acompanhada pela evolução dos profissionais que trabalha diretamente no setor.

 

Tiago Torres, coordenador da radiologia do Hospital Santa Helena, de São José do Rio Preto, é um desses profissionais. “As evoluções e avanços tecnológicos e digitais possibilitaram diagnósticos mais precisos. O advento de novos métodos diagnósticos, tais como mamografia digital, tomografia computadorizada Multi Slice, PET/CT e PET/RM, RM 3 Tesla, dentre outros, fizeram surgir uma nova radiologia que fornece aos clientes e médicos informações e exames digitais com mais precisões e qualidade. Isso significa que o setor saúde não pode mais abrir mão da chamada ‘saúde digital’,” reforça Tiago, que atua há 7 anos na instituição.

 

 

Tudo o que essa “saúde digital” possibilitou

 

E as mudanças em prol dessa saúde digital estão ainda mais aceleradas. Tiago conta que os aplicativos voltados para a saúde, o armazenamento em nuvem que permite mobilidade e a telerradiologia, que possibilita obter rapidamente e facilmente o laudo dos exames, já estão fazendo parte do ambiente hospitalar.

 

E isso tem gerado muitos benefícios para as instituições de saúde. A utilização de tabletes, computadores e smartphones e o uso de um sistema de gerenciamento do serviço garantem ao ambiente de saúde agilidade, qualidade, uma melhor gestão de recursos e a humanização no atendimento aos clientes.

 

“Há uma redução de custos com infraestrutura, suporte e aplicações, há a diminuição da complexidade na operação e aumento da mobilidade e simplificação. Além disso, o cadastro do exame em sistema e a integração com os equipamentos de imagem trazem mais segurança ao paciente”, conta Tiago.

 

 

Os módulos da Wareline

 

A Wareline sabe o quanto é necessária digitalização para o setor de diagnóstico por imagem e tem apresentado soluções que facilitam e aprimoram o trabalho dos profissionais que são responsáveis pela radiologia hospitalar. Apresentamos três delas:

 

  • Módulo SADT

 

O SADT (Serviço de Apoio Diagnóstico Terapêutico) contempla vários tipos de exames com objetivo de esclarecer o diagnóstico e realizar procedimentos específicos para os pacientes.

 

Ele pode ser configurado para operacionalizar todos os setores que fazem qualquer tipo de serviço de diagnósticos ou terapias, e também pode ser integrado com vários outros setores do sistema hospitalar.

 

O módulo recebe informações do atendimento, do agendamento, da prescrição eletrônica e do consultório — todas relacionadas às solicitações de exames. E há ainda muitas outras funções.

 

O Hospital Santa Helena tem em seu sistema de gestão hospitalar o módulo SADT. “As funcionalidades que destaco no sistema da Wareline são a facilidade e a disposição da pesquisa por clientes e/ou exames cadastrados e realizados, a facilidade de digitação/pesquisa de laudos e a extração de relatórios de produção de exames que são indispensáveis para a gestão de indicadores e dos KPI”, diz Tiago.

 

  • Módulo PACS

 

O sistema PACS é que permite aos hospitais e demais instituições de saúde poder enviar e receber arquivos médicos de forma ágil e com segurança. A ferramenta viabiliza a comunicação e o arquivamento de imagens de maneira segura e padronizada.

 

Entre os benefícios do armazenamento de exames em meio digital está a diminuição da perda de laudos pelos pacientes, que antes os levavam para casa e precisam guardá-los até a consulta. Agora, ficam disponibilizados em uma plataforma eletrônica.

 

Ter o PACS inserido no sistema de gestão hospitalar aumenta a produtividade, reduz gastos e dá mais segurança aos profissionais e pacientes.

 

  • Laudo Web

 

Essa solução garante aos médicos e pacientes a comodidade de visualizar e imprimir resultados de exames por meio de um portal na internet. Os resultados e laudos são disponibilizados automaticamente no site, permitindo um diagnóstico rápido e seguro. Além disso, geram uma economia significativa para as instituições com as impressões de exames.

 

São tecnologias como o SADT, o PACS e o Laudo Web que garantem comodidade aos pacientes e promovem economia às instituições de saúde. E, principalmente, que facilitam a rotina dos profissionais da radiologia, que neste dia 8 de novembro são homenageados. Parabéns pelo trabalho que exercem! Contem sempre com a Wareline para que possamos, juntos, transformar a saúde do Brasil.