Glosas: veja como o sistema organiza as demandas de faturamento

2022-07-01T11:45:34-03:00 30/06/2022|

Você tem (ou já teve) problemas com glosas médicas, com a recusa de procedimentos por parte das operadoras de planos de saúde? Se a resposta for “sim”, saiba que você não está sozinho. Afinal, as glosas médicas fazem parte do dia a dia das instituições de saúde.

 

Só que, embora sejam comuns e relativamente fáceis de identificar, causam problemas complexos no faturamento e atrapalham o controle financeiro das instituições. Por isso, é imprescindível saber como evitar esse tipo de transtorno — ou conseguir recursar com a rapidez necessária para que não prejudique o faturamento.

 

Ainda que as negociações com as operadoras de planos de saúde sejam desafiadoras, elas são determinantes para a saúde financeira dos hospitais. E o cenário atual (bem como as perspectivas para o futuro) não deixam dúvidas: os hospitais precisam se preparar a partir de agora.

 

Fatores como queda na demanda por serviços de saúde em meio à fase crítica da pandemia, o maior reajuste dos últimos 22 anos nos planos de saúde e a verticalização dos serviços de saúde — sobre os quais falamos aqui — exigem um olhar mais atento para as negociações e para as glosas de modo a tornar o faturamento mais otimizado e produtivo.

 

 

Como melhorar o faturamento

 

Grande parte das recusas pelas operadoras acontece devido a datas incorretas (ou fora do prazo), equívocos quanto a códigos, preços e procedimentos e ausência de informações.  Ter uma equipe qualificada, portanto, é ideal para entender aquilo que é cobrado, o quanto é cobrado e de que forma é cobrado. Acaba sendo uma vantagem competitiva para o faturamento por convênio — principalmente se for possível investir em uma auditoria interna.

 

Mas obviamente isso não é suficiente para reduzir o índice de glosas, porque os processos manuais têm suas limitações. Nesse sentido, a tecnologia vem como grande acréscimo. A implantação do Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP), por exemplo, contribui para reduzir os processos manuais e evitar os registros ou interpretações equivocadas.

 

Por fim, um sistema de gestão como o conecte/w, da Wareline, permite controlar os valores, motivos e quais procedimentos estão em recursos de glosas, bem como entender quais foram aceitas e as justificativas dentro de um determinado período e por convênio. Tudo isso possibilita ao hospital analisar o cenário e entrar com recursos administrativos — ou até judiciais — de recuperação contra as operadoras.

 

Os gestores de saúde também têm acesso a indicadores hospitalares e relatórios fundamentais para embasar decisões tanto em momentos críticos quanto em situações de mais estabilidade. Desenvolvemos um guia prático mostrando quais são os indicadores e relatórios mais estratégicos.

 

Também respondemos algumas questões sobre como melhorar o prazo médio de recebimento, como manter o fluxo de caixa saudável, como diminuir erros de digitação e retrabalho e como ter respostas mais rápidas sobre as faturas enviadas. Você pode acessar o guia prático aqui.

 

Mas sabemos que as glosas hospitalares são complexas. Por isso, esse conteúdo vem para mostrar onde você deve olhar, agora mesmo e via sistema, para entender como estão as glosas no seu hospital e/ou como pode melhorar essa questão.

 

Módulo Glosas e Repasses na prática

 

O Módulo Glosas e Repasses, do conecte/w, contribui para análise e gerenciamento dos pagamentos de convênios. Em “glosas”, é possível organizar as demandas de faturamentos que, por ventura, estão sob avaliação da operadora de saúde — e permite acompanhar as negociações.

 

 

Nele é possível verificar quais contas estão glosadas pelo convênio e, com isso, sugerir que seja feito um recurso com os motivos e justificativas apresentadas.

 

 

 

“É uma ferramenta que possibilita ao gestor ter uma maior capacidade de retorno de recursos, onde muitas instituições muitas vezes não têm visibilidade e evitando perdas”, explica o Gerente Comercial da Wareline, Raphael Castro D`Oliveira.

 

 

 

 

As unidades hospitalares que usam o módulo de recurso de glosas da Wareline conseguem recursar com facilidade através de uma importação de XML no padrão ANS dos retornos das operadoras, ou até mesmo informar, dentro da fatura apresentada e faturada, os itens glosados.

 

A partir disso, o retorno para o convênio ocorre de forma organizada e informatizada, eliminando retrabalhos e encurtando o prazo de recebimento.

 

Já em “repasses”, quando uma glosa é informada, o sistema já faz a dedução do valor glosado ao repasse em caso de serviços profissionais e utilizando as regras de repasse e percentuais acordados com cada prestador.

 

 

Isso traz maior transparência e confiabilidade aos serviços médicos. Os extratos são enviados de forma eletrônica, evitando o uso de Excel e de planilhas impressas.

 

 

O Módulo Glosas e Repasses possibilita controlar as glosas por fatura, procedimento e conta — e está integrado ao sistema financeiro para efetuar o pagamento dos médicos. É muito importante contar com um sistema de gestão hospitalar como o da Wareline para ajudar a reduzir os processos manuais, evitar registros ou interpretações equivocadas e, principalmente, que venham contribuir nessa relação entre hospitais e operadoras de saúde.

 

Se você ainda não tem o conecte/w, fale com nosso setor comercial e veja quantas mudanças podemos fazer pelo faturamento e saúde financeira da sua instituição.

 

Envie sua mensagem via WhatsApp