CEJAM: empenhado em melhorar a experiência do paciente com ajuda do sistema da Wareline

2021-06-24T14:22:09-03:00 24/06/2021|

A experiência do paciente e a necessidade de colocar o consumidor em saúde no centro do atendimento é um assunto cada vez mais recorrente.

 

Já falamos aqui que os pacientes estão cada vez mais empoderados e exigentes e mostramos a importância de soluções facilitadoras para agregar à rotina do paciente – e também dos profissionais envolvidos em todo o processo.

 

Agora, vamos mostrar quais mudanças têm sido feitas em uma entidade cliente da Wareline que tem como foco atual proporcionar a melhor experiência possível aos seus pacientes.

 

Com três décadas de atuação, o CEJAM (Centro de Estudos e Pesquisas “Dr. João Amorim”) é uma das maiores Organizações Sociais de Saúde do Brasil. Atualmente, gerencia mais de 120 unidades e serviços de saúde, em 14 municípios, em parceria com o Poder Público.

 

A equipe do Hospital Estadual de Francisco Morato, gerenciado pelo CEJAM, conta como sentiu na prática a mudança no perfil do público e como a tecnologia desenvolvida pela Wareline veio para dar respaldo a uma relação de confiança, fidelidade e transparência com os pacientes.

 

O que mudou junto com o perfil do paciente

Algumas mudanças surgiram no universo dos hospitais e instituições de saúde para atender esse novo perfil do consumidor de saúde. Parte delas está diretamente relacionada com protocolos clínicos, documentos que visam garantir o melhor cuidado à saúde do paciente. Na medida que orientam decisões e critérios relacionados ao diagnóstico e ao tratamento, e funcionam como uma espécie de “roteiro” a ser seguido pelos profissionais, permitindo tratamentos mais coesos, eles tiveram que ser adaptados para oferecer atendimento mais eficiente e resultados ainda melhores em termos assistenciais.

 

 

No caso do Hospital Estadual de Francisco Morato, a inserção de protocolos institucionais para sepse, dor torácica e AVC vieram para contribuir para uma assistência muito mais segura. Essa medida fez com que o paciente passasse a ser sempre visto no centro do cuidado e exigiu atenção especial dos profissionais clínicos, que precisam estar de prontidão para reconhecer o problema – e saber resolver com agilidade e assertividade.

 

Mas, além dos protocolos, é preciso se posicionar em um mercado cada vez mais competitivo a fim de atender esse novo consumidor exigente. Na unidade hospitalar, os gestores trabalharam em prol da modernização da entidade. Investiram em infraestrutura para que a unidade estivesse modernizada e pronta para oferecer diagnósticos precisos, e também na capacitação da equipe.

 

“Realizamos treinamentos quando há alterações no sistema ou quando novos protocolos são empregados. Para as equipes assistenciais, os treinamentos são realizados pela Educação Continuada; para a equipe médica, há reuniões todas as quintas-feiras com a Diretoria Técnica para aparar arestas e melhorar os processos do cuidado”, conta a gerente de enfermagem do hospital, Carolina Cassiano.

 

A união de protocolos definidos com a educação continuada e a revisão de processos pela equipe médica e técnica é fundamental para que o paciente tenha sempre a melhor experiência possível – independentemente do motivo de ele estar na unidade de saúde.

 

Criando valor em saúde

Hoje a melhoria de experiência de uso de serviços pelos pacientes é sinônimo de criar valor em saúde. Ou seja, instituições que investem em soluções para garantir a qualidade do atendimento do paciente e a segurança da assistência estão empenhadas em contribuir com uma saúde mais eficiente e, consequentemente, criam valor para ela.

 

Para atingir esse patamar, é preciso mensurar os resultados com indicadores que permitam acompanhar a evolução da experiência do paciente. Dados significativos em mãos validam as boas estratégias.

 

O hospital trabalha com indicadores nas áreas gerenciais e assistenciais. “Acompanhamos as metas e produção do hospital e a qualidade do cuidado prestado. Mensalmente temos reuniões de processo para discussão desses indicadores”, diz Carolina.

 

O uso do sistema com solução de Business Intelligence (BI) da Wareline permite avaliar a assistência prestada, mensurar a quantidade e o tipo de recursos despendidos, controlar os custos de produção dos serviços e acompanhar a resolutividade dos mesmos.

 

Os principais indicadores para todo gestor hospitalar acompanhar são a taxa de ocupação, o tempo de atendimento e triagem, os dados de internação hospitalar, o faturamento versus recebimento, a rentabilidade, a satisfação dos pacientes e as informações de glosas e recursos.

Importância de um sistema integrado

Para o supervisor de TI do hospital, Bruno Rutka, um sistema de gestão hospitalar eficiente e integrado é importante para continuidade do serviço, diminuição de retrabalho e para uma gestão completa do paciente. “Temos o controle do paciente desde a entrada até a saída, com todo o histórico dele enquanto esteve na unidade e sempre interagindo com todas as áreas e setores. Isso resulta em informação completa e de fácil acesso a todos.”

 

O que Bruno está dizendo é que um sistema integrado como o da Wareline permite acompanhar e monitorar toda a jornada do paciente dentro da instituição de saúde – desde o momento em que ele agenda o atendimento até o momento da alta hospitalar, passando pela consulta, medicação pela equipe de enfermagem, dispensação de medicamentos, exames, procedimento cirúrgico e/ou internação.

 

E isso é fundamental para ter um diagnóstico e tratamento mais assertivos, mitigar erros, otimizar o dia a dia da instituição, aumentar a produtividade, dar mais segurança ao paciente e reduzir custo ao hospital.

 

 

O supervisor de TI destaca o painel de senhas da unidade: “ele é inclusivo, trabalha com questões sonoras, como som de alerta e chamada por voz da senha, e com questões visuais. O monitor ‘pisca’ para retirada de senha e é possível separar por cor, o que auxilia caso o paciente tenha dificuldade com leitura em seu direcionamento dentro do hospital”.

 

Mas o grande benefício é a integração entre todos os módulos do sistema. Faça como o CEJAM: coloque o paciente no centro do atendimento e conte com soluções para melhorar cada vez mais a experiência desse cliente empoderado e exigente. Fale com a Wareline!

Envie sua mensagem via WhatsApp