Controle de custos hospitalares: instituições de saúde contam quais estratégias estão usando durante a pandemia

2020-11-09T12:09:48-03:00 12/11/2020|

A gestão de custos hospitalares de um hospital sempre foi complexa. Mas o cenário volátil e incerto como o que estamos vivendo com a pandemia da Covid-19 deixou a situação mais crítica. Ainda mais se considerarmos a falta de controle à qual as instituições de saúde estão sujeitas atualmente.

 

Administrar os custos hospitalares se tornou, portanto, cada vez mais decisivo e coube às instituições de saúde pensarem em uma nova gestão com gasto inteligente e saída para a escassez de recursos para lidar com o aumento de consumo, o elevado valor dos insumos e a queda no faturamento.

 

Esse é o foco de duas instituições que são parceiras da Wareline: o Hospital Estadual João Paulo II, de São José do Rio Preto, e a Santa Casa de Misericórdia de Jales — ambas no interior do Estado de São Paulo.

 

 

Maior desafio: alta no preço dos insumos

 

A pandemia do novo coronavírus trouxe desafios à gestão de custo das instituições de saúde. O principal deles é a alta de preços que atinge diversos insumos, bem como ao fato de que a demanda por vários deles foi maior do que a produção, o que limita a concorrência entre fornecedores e impossibilita a capacidade de estocagem nos hospitais.

 

Além disso, à pandemia do coronavírus somam-se outros desafios que já eram inerentes às instituições no que concerne ao controle de custos hospitalares. No caso da Santa Casa de Misericórdia de Jales, o monitoramento dos custos que já era constante, sempre com objetivo de reduzí-lo, ficou ainda mais rigoroso.

 

No Hospital Estadual João Paulo II, onde os atendimentos são eletivos, o foco sempre foi comparar o custo dentro das especialidades oferecidas e dividi-lo por especialista, entendendo a melhor relação “custo/benefício” entre estes profissionais, com o intuito de padronizar as boas práticas sem a perda da qualidade.

 

Diante desses cenários existentes antes mesmo da pandemia do coronavírus — e durante ela —, as instituições implementaram indicadores para acompanhar o controle de custos, tanto hospitalares quanto os específicos do paciente.

 

 

Indicadores hospitalares contribuem no controle de custos

 

Um dos indicadores mais determinantes é o de custo por unidades de negócios, citado tanto por José Eduardo Ondei, coordenador de custo do Hospital Estadual João Paulo II, quanto por Rafael Carnaz Prado, administrador da Santa Casa de Jales.

 

José Geraldo e José Eduardo no controle de custos hospitalares

 

  • Custo por unidade de negócio

Ao considerar cada setor como uma unidade de negócio, é possível cobrar justificativas quando há aumento de custo de modo individualizado. O indicador permite monitorar setores e atividades mais lucrativas, as que têm mais gastos, quais estão com custo oscilando, etc., dando suporte à tomada de decisão.

 

Para Rafael, o indicador é determinante para o controle de custos por ser possível trabalhar uma unidade de negócio especificamente para atingir os objetivos macros da instituição.

 

E José Eduardo cita outros três indicadores usados pelo Hospital Estadual João Paulo II que possibilitaram à instituição o provisionamento dos recursos economizados de janeiro a março. “Com o acompanhamento e gestão desses indicadores, juntamos recursos e destinamos a uma compra emergencial feita em março. Foi isso que garantiu que a unidade não ficasse sem os principais medicamentos que tiveram falta no mercado, como os relaxantes musculares usados no tratamento da Covid-19. Com isso, mesmo nós não sendo referência no tratamento do coronavírus, conseguimos emprestar para os hospitais da região, salvando muitas vidas”, conta José Eduardo.

 

Os indicadores por ele citados são:

 

  • Comparativo do consumo por procedimento

Traz dados dos insumos usados em cada procedimento realizado. Com ele é possível avaliar as condutas de cada profissional a fim de padronizá-las para diminuir valores, uma vez que a quantidade de procedimentos/mês não se altera com frequência. O indicador contribui tanto para calcular o custo/benefício da especialidade quanto para facilitar a logística de compra de materiais e gestão de estoque.

 

  • Comparativo da evolução dos custos

Traz dados relativos à variação do gasto com procedimentos e produtos em determinado espaço de tempo. Ajuda a acompanhar os custos subdivididos por departamento e, assim, a entender e controlar estas variações, contribuindo para a tomada de decisões dos gestores.

 

  • Custo hospitalar

É ele quem programa todo o custo hospitalar ao longo do semestre posterior (no caso do Hospital Estadual João Paulo II) e garante ampla visão para fins de planejamento. Contribui para o controle de custos, eliminação de desperdício, monitoramento de estoque e gestão de fluxo de caixa.

 

O papel da Wareline agora — e para o futuro

 

A Wareline, que é parceira das instituições, foi responsável por disponibilizar as ferramentas e garantir solidez às informações. Um bom software de gestão hospitalar, confiável e bem implantado, pode fazer toda a diferença nas decisões dos gestores.

 

“A informatização dos processos possibilita tomadas de decisão mais assertivas. Acompanhar de perto o custo da instituição é essencial para cumprir o planejamento estratégico”, diz Rafael. E a contribuição da tecnologia não é somente para agora, mas já com foco no pós-pandemia.

 

Para Rafael, os indicadores serão fundamentais para que as instituições consigam equacionar todo aumento de despesas ocasionadas para o enfrentamento da pandemia. E José Eduardo avalia que serão preponderantes no futuro. “Isso porque, a médio e longo prazo, será possível voltar aos custos praticados antes da pandemia e usar como referência as informações deste período para definição de metas e procedimentos, de modo que caibam dentro dos recursos da instituição”, diz o coordenador do hospital de São José do Rio Preto.

 

A Wareline está ciente dos desafios de agora e, mais ainda, preparada para aqueles que os hospitais irão enfrentar assim que a pandemia do novo coronavírus terminar. A empresa de tecnologia em saúde tem desenvolvido soluções para que as instituições estejam no controle total de custos hospitalares. Seja um parceiro Wareline, cuide da saúde financeira do seu hospital!