Coleta de dados na saúde: como usá-los de maneira estratégica?

2020-06-02T15:08:51-03:00 04/06/2020|

Em tempos em que a tecnologia tem sido grande aliada ao apresentar sistemas que geram relatórios e subsidiam o processo decisório das instituições de saúde, é necessário saber usá-los de maneira estratégica para que sejam realmente alinhados em prol de uma saúde melhor.

 

Se por um lado a tecnologia mantém uma estrutura capaz de garantir a obtenção de dados, transformá-los em informação depende diretamente de um trabalho dedicado de gestores hospitalares, profissionais da saúde e equipe técnica.

 

Por isso, é vital focar não apenas na captação correta dos dados. É preciso ir além e realizar o processamento da informação, provendo inteligência de negócios à estrutura hospitalar. Isso tudo é possível com soluções que contam com Business Intelligence (BI), as quais permitem a análise de dados na saúde a partir de variadas perspectivas e o melhor entendimento sobre o negócio por parte dos colaboradores de diferentes áreas do hospital.

 

O BI na saúde consolida as informações e permite novas visões dos negócios, sendo indispensável para auxiliar gestores a visualizar cenários complexos e otimizar a gestão. Mais especificamente na saúde, permite a unificação de dados disponíveis em prontuários eletrônicos, equipamentos, médicos e sistemas hospitalares.

 

Contando com um sistema de gestão hospitalar com um módulo BI, é possível retirar dados na saúde e indicadores do sistema. Isso garante aos gestores insights mais estratégicos para o hospital, resultando em uma gestão mais eficaz.

 

 

Os principais indicadores hospitalares

 

pelo menos 7 vantagens que um hospital terá ao contratar um sistema de gestão hospitalar com solução em BI e podemos citar os 7 principais indicadores que todo gestor deve acompanhar.

 

  1. Taxa de ocupação: mostra como está a capacidade de atendimento do hospital – se possui leitos em falta ou vazios – e possibilita ao gestor conhecer o perfil da ocupação dos leitos. Poder gerenciar esse recurso que demanda alto custo é um diferencial.
  2.  Tempo de atendimento e triagem: mede o tempo de atendimento de um paciente, desde sua chegada à instituição de saúde até sua saída, passando pela triagem, exames, procedimentos realizados, internação, etc. O indicador ajuda a descobrir quanto tempo os pacientes ficam nos hospitais por cada departamento.
  3. Indicadores de internação hospitalar: mensura a quantidade de pacientes internados e elenca os motivos da internação, tempo médio de permanência e previsão de alta.
  4. Faturamento x recebimento: avalia a saúde financeira do hospital, se faturamento e recebimento estão equilibrados.
  5. Indicadores de glosas e recursos: mede quais operadoras trazem maior número de glosas à instituição de saúde. O indicador é fundamental para melhoria da gestão ao diminuir custos e garantir a entrada de recursos.
  6. Rentabilidade – Custos x receita: faz com que o hospital tenha conhecimento do Retorno sobre o Investimento (ROI).  Calcula a rentabilidade por procedimento, por convênio, por especialidade, por médico, por setor, etc.
  7. Satisfação do Paciente: determina se os pacientes estão satisfeitos com os serviços recebidos.

 

Santa Casa de Valinhos: adoção de BI

 

A Santa Casa de Valinhos é um exemplo de hospital que mantém sua qualidade com um sistema de gestão hospitalar. Com média de 650 internações/mês, 7 mil atendimentos no pronto-socorro, 4,5 mil cirurgias por ano e foco em sempre se manter referência no segmento hospitalar, a instituição buscou uma solução tecnológica em Business Intelligence.

 

A inovação escolhida foi o Conecte/w, solução desenvolvida pela Wareline que apresenta análise de dados totalmente integrada ao sistema de gestão hospitalar.

 

Os indicadores usados hoje pela Santa Casa de Valinhos são a taxa de utilização por unidade e por categorias de convênios, o perfil epidemiológico dos atendimentos e o tempo de fechamento versus faturamento de contas.

 

O gerente de assistência da Santa Casa de Valinhos, Elias de Souza Maciel, conta aqui quais foram os benefícios à instituição depois que foi possível mensurar a quantidade de pacientes internados, o dimensionamento dos leitos disponíveis e o tempo de permanência dos pacientes no hospital.

 

Com o sistema de gestão hospitalar da Wareline é possível armazenar todas as informações da instituição. Além de criar uma base qualitativa e quantitativa, possibilitando o cruzamento de informações e situações que irão auxiliar em tomadas de decisões assertivas e precisas. Se você busca manter a qualidade e referência da instituição de saúde que gerencia, conte com o nosso módulo BI. Venha falar conosco!