Desafios do Hospital Santa Helena na Pandemia: como a tecnologia veio para ajudar

2021-08-12T14:37:14-03:00 12/08/2021|

Assim como muitas instituições espalhadas por todo o País, o Hospital Santa Helena enfrentou muitos desafios em meio à pandemia da Covid-19.

 

Localizada no interior do Estado de São Paulo, em São José do Rio Preto, a instituição teve, em 2020, o “pior ano de sua história” — nas palavras da própria Administradora da entidade, Aparecida Vieira de Carvalho, conhecida como Babi.

Foram vários os fatores que levaram a esse cenário crítico e que exigiram novas estratégias e reestruturações com foco em gasto inteligente e em encontrar uma saída para a escassez de recursos.

 

 

Os principais impactos no orçamento

 

Embora a Organização Mundial da Saúde (OMS) tenha decretado a pandemia da Covid-19 em 11 de março de 2020 — quando metade dos países tinham registrado os primeiros casos do novo coronavírus —, o Hospital Santa Helena começou a sentir os primeiros impactos na gestão dos recursos um pouco antes.

 

As internações por outras patologias reduziram drasticamente e as internações por Covid-19 ainda eram muito escassas. “Não suspendemos os atendimentos eletivos. Por si só, eles foram gradualmente se reduzindo até um esvaziamento quase que total, restando apenas as internações de urgência e emergência. 2019 foi um ano muito bom e 2020 foi uma catástrofe. O pior da nossa história”, diz Babi.

 

Outro fator que impactou no orçamento foram os preços dos insumos básicos como luvas, máscaras e capotes. Primeiramente, sumiram do mercado, depois estavam disponíveis em valores exorbitantes. Resultado: o hospital fechou o ano no prejuízo.

 

E outros problemas relacionados à doença também vieram, tanto que a instituição de saúde registrou dois boletins de ocorrência. O primeiro, por falta de vagas na UTI e de respiradores; o segundo, por falta de vagas na UTI e de alguns medicamentos.

 

“Também porque, depois de longa espera, as internações e cirurgias eletivas retornaram e não tínhamos leitos suficientes para atender a demanda. A razão para isso é que eles haviam sido reduzidos por conta das adequações de alas de isolamento para pacientes positivados e suspeitos da Covid”, relata Babi.

Cenário recorrente em todo o País

 

O cenário evidenciado por Babi não é exclusivo do Hospital Santa Helena. A gestão de custo de grande parte das instituições foi impactada pela pandemia, até porque houve uma queda expressiva nos leitos de UTI financiados pelo governo federal nos estados, segundo dados do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass).

 

E, como se não bastasse, a mediana do custo unitário dos pacientes, para um dia de internação, subiu. Todo esse cenário exigiu uma nova dinâmica dos gestores e um sistema de gestão hospitalar veio como apoio para vencer desafios até então imprevistos e inimagináveis. Foi o que aconteceu o Hospital Santa Helena.

 

Estratégias para fortalecimento após a crise

 

Em recente webinar promovido pela Fehosp (Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes do Estado de São Paulo), o nosso gerente comercial, Raphael Castro D’Oliveira, citou os 5 pontos importantes para as instituições de saúde adotarem para se fortalecer perante a crise.

 

São eles:

 

  • Saber os custos da operação;
  • Trabalhar a produtividade;
  • Criar diferencial competitivo com adoção de novas tecnologias;
  • Acompanhar as mudanças de perfil do consumidor de saúde;
  • Ter qualidade na atenção.

 

Alguns desses pontos foram seguidos pelo Hospital Santa Helena nesse período de reestruturação. A instituição reduziu a jornada de funcionários administrativos, renegociou os contratos com terceirizados e adiou o pagamento de tributos federais.

 

Também suspendeu projetos de reformas e de investimentos de um modo geral. Como todas as partes e players em saúde estão focados em segurar o caixa, isso também impactou na negociação com as operadoras de saúde. Não foi tarefa fácil, mas foi possível negociar algumas taxas.

 

Outra estratégia foi ampliar o uso da tecnologia na instituição. Assim, foram feitos investimentos na implantação de novos módulos do sistema de gestão da Wareline, o Conecte/w.

 

Tecnologia e Pandemia: otimizando o faturamento

 

A tecnologia é uma grande aliada ao disponibilizar ferramentas de gestão integradas que ajudam a manter o planejamento em dia, controlar melhor os custos e eliminar desperdícios, monitorar estoque hospitalar e fazer uma correta gestão de fluxo de caixa.

 

No caso específico deste hospital, algumas funcionalidades dos módulos do sistema foram fundamentais para enfrentar esse momento crítico. “O Módulo Estoque, por exemplo, tem sido decisivo para a dispensação dos materiais e medicamentos e melhorou bastante o fechamento da conta para o faturamento”, conta Babi.

 

Os resultados satisfatórios incentivaram a gestão a contratar novos módulos, que serão implementados neste segundo semestre de 2021, quando os atendimentos devem se normalizar.

 

Eles adquiriram o APP de enfermagem e os módulos Centro Cirúrgico WEB e PEP WEB, além de comprarem um pacote de 200 horas de treinamento para implantação desses— e outros que já possuem, como os Módulos Estoque e Compras, que abastecem o hospital com informações e indicadores para otimizar o faturamento.

 

Também há uma nova aplicação para a farmácia hospitalar, com fracionamento com código de barras e leitor QR Code. “É uma das iniciativas que trará grandes benefícios”, diz Babi. A farmácia hospitalar é um departamento estratégico. Está ligado a compras e estoque e é um dos pilares na representatividade orçamentária hospitalar. Se o departamento estiver bem estruturado e organizado, auxilia na resolução de grande parte dos obstáculos administrativos, financeiros e logísticos das instituições de saúde.

 

Sabemos que a pandemia da Covid-19 trouxe muitos entraves às instituições e deixou grande parte delas com prejuízo. Mas, poder contar com um sistema de gestão hospitalar eficiente significa a possibilidade de ter em mãos relatórios e indicadores que abastecem o hospital de informação para otimizar o faturamento e se fortalecer durante e no pós-crise. Fale com a Wareline, conheça as funcionalidades do nosso sistema e fortaleça sua instituição de saúde!

Envie sua mensagem via WhatsApp