• Vacina

Imunização: sistema hospitalar e o controle das campanhas de vacinação

Em recente entrevista ao portal de notícias UOL, o infectologista e ex-professor da Unicamp, Guido Carlos Levi, trouxe para o foco o tema da vacinação. Em seu livro “Vacinar, sim ou não?”, Levi afirma que a vacina é vítima do seu próprio sucesso. O aumento da imunização reduziu o número de doentes e, consequentemente, a percepção da seriedade de algumas delas.

 

Mas, ainda que algumas pessoas passem a se preocupar mais com o risco das vacinas do que com a prevenção que elas representam, o infectologista não hesita em responder “sim” à pergunta sugerida em seu livro. A vacina não apenas protege quem a recebe, como ajuda a comunidade a ficar protegida.

 

Somente no Brasil mais de 300 milhões de doses anuais de imunobiológicos, entre vacinas, soros e imunoglobulinas, são disponibilizadas para a população. E para que cada campanha de imunização atinja o seu objetivo é fundamental haver um controle de todas as etapas: da compra à distribuição.

 

SAME: campanhas de vacinação controladas

Em seu sistema de gestão hospitalar, a Wareline conta com o Módulo de Serviço de Análise, Métricas e Estatísticas, o SAME. Além de fazer todo o acompanhamento do prontuário do paciente e possibilitar a geração de relatórios estatísticos e indicadores do hospital, essa ferramenta ainda permite o controle das campanhas de vacinação.

 

Graças a essa última aplicação, torna-se mais fácil o controle das doses que o paciente deve receber e frequência delas. Sua estrutura permite:

  • organizar campanhas de vacinação e agendamento seguindo calendário de vacinação;
  • controlar a aplicação de doses;
  • produzir relatórios com a lista dos imunizados;
  • avaliar dinâmica do risco quanto à ocorrência de surtos ou epidemias, a partir dos registros;
  • controlar o estoque de vacinas, facilitando a programação, sua aquisição e distribuição;
  • diminuir eventos adversos de reações pós-vacinação.

Vantagens para imunização

Para as instituições de saúde, o módulo SAME ajuda a promover o controle da vacinação e a convocar os pacientes para realizar campanhas e vacinas de rotina. No caso do paciente, esse tipo de recurso possibilita o controle imunológico informatizado. Assim, além da carteirinha de vacinação em papel, ele tem o registro eletrônico das rotinas e, em caso de perda, a informação é facilmente levantada.

 

O controle dos lotes é outra vantagem que pode ser percebida tanto pelos hospitais quantos pelos pacientes. Caso alguém tenha uma reação e um lote seja identificado como suspeito. Fica mais fácil levantar todos aqueles que utilizaram o mesmo lote.

 

Que saber mais sobre esta e outras soluções da Wareline? Fale com a gente!

2018-04-19T09:15:39-03:00