Setor de saúde: o que aprender com a crise?

O cenário econômico atual, a instabilidade política e a escassez de recursos estão exigindo cada vez mais a necessidade de tomada de decisões rápidas e elaboração de estratégias que possam garantir a eficiência e eficácia dos processos, com ênfase na transparência e melhoria dos resultados.

O setor de saúde está sendo afetado diretamente pela crise, tanto os hospitais públicos, quanto privados e operadoras de saúde. Conseguir equilibrar a receita mensal para que ela seja suficiente para cobrir todos os custos fixos e variáveis não é fácil, e a perda da margem acaba ficando cada vez mais preocupante. Conversamos sobre esse tema com alguns representantes de instituições ligadas ao setor de saúde, e um dos pontos comuns citados por eles foi a necessidade de uma gestão eficiente para otimizar processos, controlar custos e gerenciar pessoas. E a importância da gestão, aliada a um software de saúde, é um bastante estratégica: somente baseados em dados qualitativos e quantitativos confiáveis serão alcançadas melhorias para o negócio e para todos os envolvidos, além de um ponto de equilíbrio que permita reduzir os custos e aumentar as receitas operacionais.

Confira a percepção de alguns dos nossos entrevistados.

Antonio Carlos Abbatepaolo, diretor executivo do Sistema Abramge/Sinamge/Sinog

Nos últimos anos as operadoras têm registrado margem operacional próxima a zero. Para tentar reverter esse saldo, o setor de saúde suplementar tem investido cada vez mais na eficiência de sua gestão. Prova deste esforço é que, desde 2008, as empresas do setor conseguiram reduzir em 30% suas despesas administrativas e operacionais.

Os softwares auxiliam na gestão da operadora, como por exemplo, no armazenamento dos prontuários eletrônicos – diminuindo a realização de exames desnecessários – e no controle de estoques de medicamentos e demais instrumentos médicos.

Edson Rogatti, Presidente da CMB

Uma boa gestão faz toda a diferença em qualquer situação, mas neste cenário de recursos escassos ela se torna indispensável e a única ferramenta capaz de proporcionar a sustentabilidade de qualquer instituição. é impossível prescindi-la.

E Quando falamos em boa gestão, não dá para excluir o uso de softwares para a gestão hospitalar. Essa é uma atividade de reconhecida complexidade e não há como gerenciar bem essa complexidade senão pelo uso de ferramentas avançadas no campo da TI.

Francisco Baletrin, ANAHP


No âmbito geral, com a crise percebemos uma redução das contratações, o case mix dos pacientes mudou, os prontos-socorros estão menos lotados e estamos apenas mais cautelosos em relação aos investimentos em expansão. Observamos, também, um esforço dos hospitais em conter o ritmo de crescimento de suas despesas em um contexto de desvalorização cambial, aumento do custo do crédito e crescimento da inflação. Nesse ano coisas começaram a mudar um pouco e vemos nítidos sinais de melhora no ponto de vista gestão, conseguimos aumentar eficiência, buscar melhores processos, tivemos um menor crescimento da folha de pagamento, conseguimos comprar menos. Acredito que a crise acabou ajudando a buscar alternativas para otimizar gastos e pessoal – o que teve como consequência o aumento do desemprego. 

Hélio Girotto Franqui, Diretor Administrativo da Santa Casa de Mogi das Cruzes

Em todo momento é importante a eficácia, creio que agora é questão de sobrevivência. As estruturas devem ainda se adequar a um momento de mudança de cultura das pessoas que querem muito, porém não fazem para os resultados. Vejo uma nova geração que busca resultados muito imediatos em um ambiente que está se reestruturando. Várias gerações X, Y Baby boomers em conjunto no mesmo ambiente de trabalho, isso tudo causa um pouco do que eu chamo de tumulto relacional, mas com flexibilidade da liderança e um planejamento de competências integradas é possível  tomar proveito desta miscigenação de gerações. 

Temos que estar atentos aos valores institucionais e aos valores das pessoas, estas duas coisas devem andar juntas se não, não dá certo, o fracasso é certeiro. A tecnologia da informação e os softwares neste momento são de suma importância para o auxílio na tomada de decisões. A reestruturação de nossos processos tem passado por uma diretriz estratégia de incremento na utilização de nossos softwares. Acreditamos que quanto mais utilizarmos a ferramenta que dispomos estaremos melhorando ainda mais nossos processos uma vez que a ferramenta possibilita isso incontestavelmente.

As áreas de farmácia, faturamento e atendimento já melhoraram muito o uso, mas ainda temos que caminhar bastante. Em nosso planejamento estratégico está a implantação da prescrição eletrônica em 100% do hospital, hoje estamos implantado apenas nas UTIs e pronto socorro, mas vamos expandir para toda a organização. O desafio e termos um hospital com todo processo administrativo e assistencial funcionando dentro do sistema.

João Luiz Gomes, Superintendente do Plamer

A importância da gestão eficiente, seja para na área financeira ou operacional, é crescente. Ou se controlam os gastos ou se inviabilizam os negócios. A tecnologia, em especial os softwares de gestão, aumentam a eficiência  de um determinado processo e diminuindo a margem de erro, podendo assim alcançar melhores resultados. 

Marcos Rocha, Gerente Financeiro Hospital Aviccena

A grande discussão no momento é sobre as finanças da máquina pública, via a Lei de Responsabilidade Fiscal, dinheiro não aceita desaforo, deve ser bem tratado e otimamente utilizado, com coerência e de forma transparente, ou seja, com previsibilidade, estes conceitos servem para o governo, empresas e indivíduos. E aqui os softwares de gestão são muito importantes. O fator tempo e precisão são fundamentais para tomadas de decisão seguras e inteligentes. Os softwares bem implantados mapeiam o hospital dando-nos a visão macro do negócio e onde temos que tomar medidas corretivas de imediato e onde a gestão esteja sob controle, dessa forma, nós gestores, vamos canalizar nossas energias para as áreas necessárias. No passado quem possuía informação detinha o poder, nos dias atuais o importante é a era do conhecimento, porque não basta ter uma gama enorme de informações se não souber interpretar, por isso o papel do Software de extrema importância, mas ainda necessário o comprometimento das pessoas na condução dos processos.

2016-11-03T00:00:00-02:00