Segurança do paciente: todos podem contribuir

Em recente levantamento foi identificado que menos de 4% dos hospitais do Brasil seguem normas pré-estabelecidas para garantir maior segurança ao paciente. Com o intuito de aumentar a conscientização de profissionais da saúde e leigos, o Ministério da Saúde (MS) criou a campanha “Abril pela Segurança do Paciente” que tem como objetivo mostrar caminhos para uma assistência com menos eventos adversos, que vão desde a simples identificação incorreta de exames ao óbito.

A Organização Nacional de Acreditação (ONA), o Instituto Brasileiro de Segurança do Paciente (IBSP) e o Instituto para Práticas Seguras no Uso de Medicamentos (ISMP) são instituições que prezam por uma metodologia de acreditação de saúde com padrões reconhecidos internacionalmente, que ajudam as organizações a prestarem uma assistência mais segura, humanizada e de qualidade. No mês da campanha, uma série de conteúdos especiais estará disponível nos portais dessas instituições, entre eles: boas práticas relacionadas às metas internacionais de segurança do paciente, os principais conceitos do tema ao público leigo, um webinar gratuito para discutir novos desafios na área e o II Simpósio Internacional de Qualidade e Segurança do Paciente.

                                                

 

Wareline fazendo a diferença

 

Com o objetivo de entender melhor esse cenário e mapear como os profissionais de saúde avaliam a acreditação, em 2015 a Wareline desenvolveu uma pesquisa envolvendo mais de 200 profissionais de instituições e portes variados espalhadas por todo o país. Entre as informações levantadas estão a percepção dos diferenciais em ser uma instituição certificada, principais dificuldades e empecilhos encontrados, e o que está sendo feito pelo governo e pela ONA para tornar a acreditação um imperativo para aqueles hospitais que querem oferecer um serviço de excelência.

 

De acordo com a pesquisa, 73% dos profissionais participantes responderam que a instituição em que trabalham utiliza um software de gestão hospitalar, dados que mostram a importância que ele possui para auxiliar aqueles que buscam a certificação. Um dos primeiros passos em direção à otimização, maior segurança e agilidade é a automatização de processos por meio de um software de gestão, que reúne todas as atividades diárias de um hospital – sejam elas administrativas, médicas ou laboratoriais – em um único sistema, evitando erros de digitação, perda de tempo, desperdício de papel e reduzindo custos.

 

Além da tecnologia e processos de certificação ISO ou ONA, outros dois pontos podem ser apontados para a minimização de eventos adversos – considerados por especialistas uma pandemia que mata mais de dois brasileiros (2,47, exatamente) por minuto (127.339 a 434.112 brasileiros/ano) – e para expansão da cultura de segurança do paciente: a transparência, que permita ao cliente/paciente escolhas conscientes baseadas em qualidade, custos, desempenho assistencial com foco na segurança e na satisfação dos usuários; e a remuneração por qualificação de estrutura focados em resultados assistenciais, segurança e aumento da produtividade do leito hospitalar.

 

Saiba como se tornar um hospital acreditado: entre em contato com um de nossos representantes.

2017-10-06T09:17:48-03:00