SBIS lança programa de profissionalização da informática em Saúde

A Sociedade Brasileira de Informática em Saúde (SBIS) lança o proTICS – Programa de Profissionalização da Informática em Saúde. Nas próximas semanas, a Comissão de Educação da SBIS estará trabalhando na elaboração das regras e das questões de prova (exame) do cpTICS.
Para isso, a SBIS elaborou uma série de documentos de referência que estão em Consulta Pública até o 15 de Fevereiro de 2012. Nestes documentos estão descritos os fundamentos e conceitos, bem como todos os detalhes do proTICS.
A expectativa da diretoria da SBIS é que o primeiro exame seja oferecido durante o próximo Congresso Brasileiro de Informática em Saúde (CBIS), provavelmente a ser realizado na primeira semana de Dezembro de 2012.
Com esse projeto, a entidade pretende fomentar e estimular a criação de novos cursos de graduação e, especialmente, pós-graduação na área de informática em saúde. Além disso, objetiva colaborar com a definição do conteúdo mínimo e critérios de qualidade para que assim ocorra o credenciamento deste curso no proTICS, obtendo o reconhecimento oficial da SBIS.
Certificação
A Sociedade também está preparando um processo de certificação para o Informata em Saúde, com o objetivo de reconhecer as competências essenciais deste profissional e assim oferecer um certificado, um reconhecimento de sua sociedade científica, na forma de um Certificado Profissional em Tecnologia da Informação e Comunicação em Saúde (cpTICS).
Para visualizá-la acesse o site da SBIS e clique no link do “proTICS” para ver todos os documentos e enviar suas críticas, sugestões e dúvidas durante esse período de Consulta Pública.
De acordo com a instituição, um dos pontos a ser discutido diz respeito aos Perfis Profissionais e ao Modelo Brasileiro de Carreira para o Profissional de Saúde. Se o entendimento proposto for considerado adequado, os próximos passos consistirão em:
a) revisar e ratificar as profissionais;
b) propor a sua hierarquização formal associada aos níveis de especialização;
c) associar cada perfil profissional a um conjunto de Perfis Funcionais (da versão original) ou a parte de um deles; e
d) atribuir a cada perfil profissional o conjunto adequado de competências essenciais que o caracterizam.

Fonte: Saúde Web

2012-01-17T00:00:00+00:00