Saúde em TI aumenta receita de hospitais

Segundo relatório da Fitch Ratings, Hospitais com avançado sistema de tecnologia de informação de saúde e elevada qualidade dos cuidados, alcançam um crescimento maior da receita, atendem mais pacientes, desfrutam de uma reputação superior e são mais capazes de conter os custos.
Seguindo o pedido da administração de Obama, os hospitais aceleraram a adoção de registros de saúde eletrônicos, tecnologia de prescrição eletrônica e outros serviços de TI de saúde, descobriram que o programa de incentivo terá um impacto positivo na melhoria da qualidade da assistência, enquanto contém os custos dos cuidados.
O relatório especial de saúde, Enhanced Accountability and Financial Performance (Maior Responsabilidade e Desempenho Financeiro), notou que as reformas de saúde, aceleraram a adoção de relatórios de qualidade e investimentos em TI de saúde. é importante analisar o impacto de ambos nas operações dos hospitais.
Para avaliar, o Fitch Ratings selecionou 291 hospitais em seu portfólio e os dividiu em grupos: 75 hospitais (25,8%) foram considerados ótimos em qualidade de saúde; 24 hospitais (8,2%) foram designados como tendo uma avançada infraestrutura (um hospital HIMSS no estágio 6 ou 7); e 12 hospitais foram listados como excelência em tecnologia e qualidade (os hospitais de TI&Q). Os grupos dos hospitais foram comparados com as médias de todos os hospitais do portfólio da Fitch.
Ao rever as demonstrações financeiras e outros dados relevantas entre 2005 e 2009, a Fitch afirmou que seu objetivo era determinar se os investimentos em TI avançada e a mudança para medidas melhoradas de qualidade clínica tiveram um impacto possível de avaliar no desempenho do funcionamento dos hospitais.
Segundo o relatório: “Com base nas análises da Fitch, parece que o avançado sistema de operação tem a maior contribuição no controle dos custos. O diferencial das taxas de crescimento anuais entre as receitas e despesas foram maiores entre os hospitais com Tecnologia TI&Q, cuja receita ultrapassa as despesas em 1,3% ao ano. O poder da combinação da melhoria da qualidade e sistemas de informação é aparente em hospitais TI&Q, onde o crescimento da receita anual ultrapassou o crescimento das despesas de 1,8%, comparado com 1,3% nos hospitais com tecnologia e de 0,2% para 0,3% nos hospitais da lista de controle”.
De acordo com o relatório, os benefícios de qualidade e TI tornam-se cada vez mais evidentes na análise tanto das taxas de crescimento, níveis absolutos de rentabilidade operacional e fluxo de caixa, usando lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA) como representação.
A investigação também encontrou uma correlação entre o tamanho da receita e dinheiro disponível de um hospital e investimentos e realizações na infraestrutura tanto em qualidade quanto em TI. Entre os resultados:
– O rendimento médio total dos hospitais de alta qualidade foi 30% maior do que a dos hospitais da lista em 2009, enquanto a receita total para os hospitais de tecnologia foi 46% maior do que a lista de controle de hospitais. Os 12 hospitais que foram listados sendo tanto de tecnologia e qualidade (os hospitais TI&Q) tiveram uma média total 76% maior do que os hospitais da lista de controle.
– A média de dinheiro disponível e investimentos também foram aproximadamente 30% maiores em hospitais de qualidade e tecnologia dos que os listados. Para os hospitais TI&Q, esse número aumento em 59% em relação a mesma lista.
– Entre 2005 e 2009 as admissões nos hospitais da lista de controle caíram numa média de 1,4% ao ano. Em comparação, nos hospitais de qualidade e tecnologia as admissões cresceram uma média de 0,5% e 4,7% ao ano, respectivamente. Nos hospitais TI&Q, o aumento foi de 4,4% ao ano.
– Os hospitais da lista de controle tiveram a menor média de crescimento entre 2005 e 2009, com uma média de 7,5% ao ano. A taxa de aumento de pacientes nos hospitais de qualidade aumentaram um pouco mais, 8,5% ao ano; já os hospitais de tecnologia e TI&Q viram um aumento de 13,2% e 12,7% por ano, respectivamente.
– O tempo médio de permanência nos hospitais da lista de controle teve uma média de aumento 0,1% ao ano, enquanto os hospitais de qualidade e tecnologia viram uma queda de 0,4% e 1,0% respectivamente. Os hospitais IT&Q tiveram a maior taxa de queda, com 1,8%.
Ao avaliar as conclusões, o relatório observou que os investimentos em sistemas de TI e programas de melhoria da qualidade “parecem ter um impacto mensurável sobre o custo”.
Fonte: Saúde Web

2011-05-25T00:00:00-03:00