Santa Casa de Mauá dá exemplo ao descartar lixo eletrônico

2017-10-05T15:27:59-03:00 27/07/2017|

Pense na empresa em que você trabalha e procure lembrar das vezes em que os computadores, as câmeras fotográficas, as impressoras, as baterias e tantos outros eletrônicos tiveram que ser descartados ou por terem se tornado obsoletos ou por já não funcionarem mais. Você saberia dizer para onde foi esse lixo todo? Pois a Santa Casa de Mauá, há três anos, sabe o destino certo do seu lixo eletrônico. Consciente dos problemas de um descarte incorreto, como a contaminação da água e do solo, o departamento de Tecnologia da Informação (TI) do hospital desenvolveu um projeto de reciclagem que coloca a instituição a alguns passos à frente no quesito preservação da sustentabilidade do planeta.

Idealizado por André Batista da Silva, gestor de TI da Santa Casa de Mauá, a ideia de dar uma atenção especial para os equipamentos eletrônicos surgiu de uma dúvida: “Por que estamos jogando no lixo comum os equipamentos de TI? Será que eles podem ser reciclados?”. A partir daí, os cinco jovens que fazem parte deste departamento passaram a pesquisar as formas de reciclagem do material até chegarem às empresas com selo ambiental. “Todo o nosso lixo eletrônico é destinado às empresas que têm selo ambiental que, por sua vez, direcionam esses equipamentos para um destino correto”, explica o gestor.

Cerca de uma tonelada de lixo eletrônico deixou de ser descartado indevidamente no meio ambiente graças ao excelente projeto de reciclagem implantado na Santa Casa. A iniciativa, além de preservar o meio ambiente, também tem contribuído com outras ações internas. “Todo valor obtido com a venda dos equipamentos eletrônicos será revertido para o próprio setor de TI a fim de custear cursos de aperfeiçoamento e promoção de ações de endomarketing para melhorar ainda mais a satisfação da nossa equipe”, completa. Com o sucesso do projeto, o gestor já começou a pensar além e irá firmar parcerias com fornecedores de plásticos e papeis para que esses materiais também encontrem o local certo para o seu descarte.

Parabéns ao André e demais idealizadores do projeto! Esperamos que muitas outras entidades de saúde se espelhem neste belo exemplo me contribuam para o futuro do nosso planeta.