Saiba por que investir em tecnologia no setor de faturamento hospitalar

Com a atual recessão, contar com um setor de faturamento hospitalar que funcione alinhado com as necessidades do hospital e com as mudanças do mercado é primordial para as instituições de saúde se manterem competitivas. Segundo Raphael Castro, gerente Comercial da Wareline, isso acontece porque o investimento no setor de faturamento melhora o fluxo financeiro da instituição, diminuindo perdas.

Assim, um dos grandes aliados para o departamento é o sistema de gestão hospitalar, por meio do módulo de Faturamento, que auxilia na negociação de faturas não recebidas, na realização da fiscalização de erros de digitação e na adoção de mecanismos eletrônicos de envio de faturas como forma de acelerar o recebimento de contas e auditoria das mesmas. “Com ele, o controle dos gastos desde o atendimento do paciente até o recebimento da instituição pelo convênio ou prestador de serviço fica facilitado, pois o sistema gera automaticamente recurso das glosas ou contestações para recebimento integral de faturas. E, em seguida, é gerado repasse médico, já que o setor financeiro reconhece os recebimentos e pagamentos advindos dessas contas faturadas”, explica o gerente.

E hoje, com a instabilidade econômica que o país enfrenta, é ele que poderá dar subsídios para negociações com operadoras, tão vital para a manutenção das margens achatadas pela crise como um todo.“Quando há um setor de faturamento que conta com profissionais e ferramentas adequadas, é possível, por exemplo, um melhor aproveitamento das contas médicas atrelado às regras das operadoras, que permite uma baixa estatística de glosas e atrasos de envio de contas. Isso aumenta a performance e torna mais fácil a auditoria pelo hospital dos procedimentos utilizados versus faturados”, garante.

Conheça algumas das funcionalidades do módulo da Wareline:

 

– Gerador de Cobranças Automáticas: melhora o aproveitamento de contas médicas, uma vez que o próprio sistema se encarrega de cobrar automaticamente itens previamente parametrizados, como diárias de acordo com a permanência do paciente, taxas de acordo com o procedimento executado, entre outros;

 

– Regras de convênios pré-estabelecidas: cada operadora possui suas regras de cobrança, o que torna mais difícil o trabalho do faturamento, quando o profissional tem que ter conhecimento de cada uma delas. Com o sistema integrado de faturamento de contas, o faturista se preocupa com a integridade das cobranças com foco maior em auditoria, melhorando assim a performance e o ticket médio de cobrança dentro do hospital. Os prazos de envio para as operadoras também são mantidos,  pois o sistema garante que a valorização dos procedimentos e serviços executados em cada atendimento estão seguindo as regras contratadas e isso não dependerá de sua atuação direta caso esteja já parametrizado no sistema;

– Integração: regras de cobrança, pacotes, repasse médico eletrônico são integrados com recursos de glosas.

2018-07-11T10:13:10-03:00