Recém-nascida é curada do vírus HIV, dizem médicos

A evolução da tecnologia colabora com a medicina, de forma que as instituições de saúde de todo o mundo pudessem aperfeiçoar seus processos, com os sistemas de gestão hospitalar, por exemplo, e também criar novas formas de cura para doenças consideradas graves. Um exemplo disso é o caso de uma menina recém-nascida com HIV que, segundo os médicos, após 11 meses de seu nascimento está sem sinais do vírus.

A criança foi submetida a tratamento com antirretrovirais logo após o seu nascimento. Este é o segundo caso do tipo no mundo de acordo com as agências internacionais de notícias. Ela nasceu em Los Angeles, nos Estados Unidos, em abril do ano passado e em exames realizados posteriormente não foram encontrados vestígios do HIV.

Apesar de estarem otimistas com a situação, os médicos não afastam a possibilidade de o HIV voltar ou estar oculto nos tecidos. Desta forma, poderia se manifestar anos mais tarde. Um caso parecido aconteceu há cerca de 3 anos, quando uma menina americana diagnosticada com o vírus foi tratada e dada como curada.

De acordo com a professora de pediatria da Faculdade de Medicina da Universidade da Califórnia, Yvonne Bryson, o que é mais notável em relação a este bebê é a rapidez com que o vírus desapareceu, pois os testes de DNA estavam negativos quando ele tinha seis dias e continuaram negativos depois. 

2014-03-07T00:00:00-03:00