Primeiro Dia Mundial do Doador de Medula Óssea foi neste sábado.

Um grande marco foi alcançado em 2015: 25 milhões de doadores de medula óssea registrados em todo o mundo. Para comemorar a importância e o alcance da grande rede de cooperação global para o transplante de medula não aparentado, o Instituto Nacional de Câncer (INCA/MS) lança o novo portal do Registro Nacional de Doadores de Medula óssea (Redome), nesta sexta (18).
“Obrigado, 25 milhões de doadores” é o mote da campanha que mobilizou organizações e registros de todo o mundo para promover ações de conscientização sobre a importância de ser doador voluntário de medula óssea. A data será sempre comemorada no terceiro sábado de setembro (Dia 19, neste ano) e é uma iniciativa da Associação Mundial de Doadores de Medula óssea (World Marrow Donor Association – WMDA), que reune os registros de doadores de 52 países.
 
No Brasil, o novo portal do Redome, mais interativo, informativo e de fácil navegação, será um eficiente instrumento de relação com doadores já cadastrados e futuros doadores. O destaque é uma área exclusiva para o doador, onde também será possível atualizar seu cadastro. Um dos desafios dos registros em todo o mundo é a fidelização do voluntário, já que este pode permanecer, em média, de 20 a 25 anos como potencial doador. Durante este período, é fundamental que os dados cadastrais sejam mantidos atualizados.
A informação, uma das principais aliadas no controle do câncer, também tem seu papel fundamental no transplante de medula, principalmente para esclarecer a população sobre todas as etapas que envolvem o procedimento: cadastro, fases de confirmação de compatibilidade, análise clínica do doador e, por fim, a doação.
“O doador precisa saber o que é a doação de medula óssea, como acontece o transplante, a dificuldade de se encontrar um doador não aparentado e como funciona o banco público de medula óssea. Essas informações transmitidas de forma acessível ajudam a conscientizar a população sobre a sua importância dentro do processo e esclarecem mitos que ainda persistem. Ainda há pessoas que têm medo de realizar a doação e o procedimento é muito simples”, ressalta Luis Fernando Bouzas, coordenador do registro brasileiro.
Hoje, o Redome é o terceiro maior registro do mundo, com cerca de 3,8 milhões de pessoas que compartilham solidariedade. “Somos parte de uma grande rede com um nobre objetivo: salvar vidas. Esse marco mundial de 25 milhões de doadores cadastrados evidencia que a nossa missão está fortalecida e representada por tantas pessoas pelo mundo que também acreditam: é possível aumentar as chances de cura dos pacientes”, finaliza o médico.
O portal do Redome pode ser acessado em: www.redome.inca.gov.br
Fonte: Blog da Saúde
2015-09-21T00:00:00-03:00