Pesquisa mostra que 72% dos usuários aprovam planos

2013-10-07T00:00:00-03:00 07/10/2013|

Uma pesquisa recente revelou que a maioria dos usuários do planos de saúde se sentem satisfeitos com os serviços oferecidos. O critério mais bem avaliado, no entanto, diz respeito ao bom atendimento prestado pelas instituições credenciadas. Isso é um indicativo de que cada vez mais as clínicas e hospitais estão investindo no aperfeiçoamento da gestão, inclusive com o auxilio dos softwares hospitalares. Veja mais detalhes da pesquisa abaixo:

Uma pesquisa divulgada nesta terça-feira (2) pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) constatou que 72% dos usuários de planos de saúde consultados disseram-se “satisfeitos” ou “muito satisfeitos”. Auditados pela ANS, os dados foram coletados por telefone pelas próprias operadoras, no período de agosto a novembro de 2012. No total, 89 operadoras de médio e grande porte concluíram a pesquisa e tiveram os resultados apresentados.

A maior avaliação foi em relação ao atendimento prestados pelas clínicas e hospitais credenciados. Entre as pessoas consultadas, 73,44% manifestaram-se positivamente sobre os serviços oferecidos e 15,33% reclamaram do tempo de espera para autorização de procedimentos, sendo o maior índice de insatisfação da pesquisa.

A pesquisa também abordou a relação custo-benefício da operadora, as opções de atendimento (rede credenciada), a qualidade dos serviços, prazos para autorização de procedimentos, a facilidade de comunicação com a operadora, além de uma avaliação geral do plano, item que obteve 1,99% de satisfação.

O levantamento consultou 67.322 pessoas em todo o país, com idade igual ou superior a 18 anos. O número representa 25% do total do público consumidor de planos de saúde. A pesquisa, voltada para operadoras de médio e grande porte, foi coordenada pela ANS e facultou às empresas a decisão de participar ou não.

Das 419 operadoras aptas a participar, 256 aderiram à pesquisa e 89 cumpriram todos os requisitos exigidos pela agência, como entrevistar o número mínimo de pessoas e seguir a metodologia definida pela autarquia. Para 2014, a ANS vai tornar obrigatória a participação de empresas com 100 mil beneficiários ou mais.

Contraponto

Apesar dos resultados favoráveis, as operadoras de planos de saúde estão as empresas que mais geram reclamações dos consumidores. A Fundação Procon de São Paulo, por exemplo, divulgou em agosto um ranking dos dez serviços de saúde que mais geraram reclamações no primeiro semestre. O segmento ocupou o sexto lugar, com 6.550 atendimentos registrados entre pedidos de orientação e queixas contra operadoras ou administradora de benefícios.

No mesmo mês, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) tentou suspender 21 operadoras de 212 planos de saúde no Brasil. Os motivos apontados incluem reincidência na falta de cumprimento dos prazos de atendimento e negativa de cobertura sem justificativa. As suspensões foram revertidas na Justiça.

Fonte: Saúde Web