PEP: indispensável para a gestão hospitalar do século 21

2014-07-01T00:00:00-03:00 01/07/2014|
Quando se fala em gestão hospitalar, o prontuário eletrônico do paciente (PEP) é a principal ferramenta tecnológica que passa pela mente. Afinal, essa solução é realmente indispensável para as instituições que querem otimizar os seus processos e garantir a segurança dos pacientes. De modo mais amplo, ela colabora para uma mudança profunda no setor de saúde mundial ao possibilitar, no futuro, o uso das informações clínicas de modo sigiloso para a geração de dados sobre a saúde.
O módulo “Prontuário Eletrônico” do sistema de gestão hospitalar da Wareline reúne o máximo de informações sobre a movimentação dos pacientes pelos setores do hospital. Nele também é possível verificar a quantidade de exames realizados, agendados e seus resultados; prescrições; cirurgias; entre outros dados. No PEP, encontra-se todo o histórico clínico do paciente, facilitando a compilação e análise das informações, além de deixá-las disponíveis para o médico de maneira fácil, agilizando o atendimento. 

O PEP é uma ferramenta muito útil atualmente e, de acordo com previsões do mercado, será ainda mais no futuro. Alguns estudiosos da tecnologia aplicada à saúde defendem a inclusão de dados genéticos dos pacientes no prontuário eletrônico com o objetivo identificar possíveis problemas de saúde e preveni-los, ao invés de tratá-los. Outra linha sugere que as informações clínicas poderiam ser usadas para identificar padrões epidemiológicos e, assim, guiar as ações públicas para a prevenção de doenças. 
No presente ou no futuro, o prontuário eletrônico é uma ferramenta indispensável para a boa organização dos serviços de saúde e para a confidencialidade dos dados do paciente.