Padrão TISS 3.0

Restam dez meses para que o novo padrão de Troca de Informações na Saúde Suplementar (TISS 3.0) se torne obrigatório. O prazo para implantação é dia 30 de novembro de 2013 e caso não estejam utilizando a nova versão em seus sistemas de gestão hospitalar, as instituições de saúde poderão ter prejuízos.  Após esta data, não conseguirão enviar o faturamento, por exemplo, acarretando em perdas financeiras.

Consciente da importância da atualização do padrão para garantir mais segurança e a integração entre os diversos sistemas de gestão hospitalar, a Wareline do Brasil está adequando seu sistema às novas regulamentações. Desde novembro de 2012 todos os seus clientes já utilizam o módulo Plano de Saúde de acordo com a versão 3.0 do padrão TISS.

O principal objetivo da nova versão é proporcionar a interoperabilidade entre os diversos sistemas de informação, resultando em otimização de recursos e diminuição de custos. Outra novidade trazida pela atualização é a complementação do processo de faturamento com a ampliação da Terminologia Unificada da Saúde Suplementar (TUSS) e a inclusão de termos relacionados à diária, taxas, gases, medicamentos, materiais e outros.

Essa terminologia proporciona vários benefícios para às instituições de saúde. Uma das vantagens é evitar a manutenção de diversas tabelas fornecidas pelos vários planos de saúde. Ela também padroniza as rotinas de recursos de glosas, evitando cobranças indevidas.

O novo padrão de gestão hospitalar também define quem são os agentes de troca de informação. Antes, os dados eram trocados somente entre a operadora e os prestadores. Agora, eles também estarão disponíveis para a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e para os beneficiários de planos privados. Além disso, o recurso de glosa está mais bem amparado, pois ao enviá-lo o prestador receberá uma um número de protocolo da operadora, quantas vezes forem necessárias.   Isso será realizado sem custo e atendendo aos requisitos de segurança e privacidade do padrão, o que auxiliará na redução da assimetria de informação e preparará a base para a composição do Registro Eletrônico de Saúde (RES) dos beneficiários.

Apesar de o prazo limite para a implantação do novo padrão ainda estar longe, a Wareline acredita que as operadoras de planos de saúde deveriam disponibilizar a importação dos arquivos TISS 3.0 antes da data final. Embora não haja esta obrigatoriedade, a ação possibilitaria a realização de testes e evitaria problemas técnicos de última hora.

2013-02-05T00:00:00-02:00