Padilha anuncia a criação de Força Nacional de Resgate do SUS

Equipe reunirá profissionais do Ministério da Saúde, dos hospitais universitários, das Forças Armadas e de estados e municípios 
O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, anunciou nesta sexta-feira (4) que será criada uma Força Nacional de Resgate do SUS. A equipe reunirá profissionais especializados em atendimento a vítimas de desastres naturais como o ocorrido na região serrana do Rio de Janeiro na primeira quinzena de janeiro. 
De acordo com o ministro, a proposta é formar a equipe tomando por base os cerca de cem servidores do ministério que já participaram de ações semelhantes, além dos profissionais de saúde dos hospitais universitários federais e das forças armadas. “Esperamos contar ainda com a parceria dos estados e municípios para consolidar no Brasil, de forma profissional, uma grande equipe nacional de resgate do SUS”, acrescentou o ministro Padilha. 
O anúncio foi feito durante solenidade de entrega de 42 ambulâncias. Desse total, 20 foram encaminhadas pelo Ministério da Saúde para integrar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgências (SAMU/192), no Estado. Os veículos foram recebidos pelas secretarias municipais de saúde de 34 cidades do estado do Rio de Janeiro, incluindo Nova Friburgo, Petrópolis e Teresópolis, as mais atingidas pelas chuvas do começo do ano. 
O evento contou com as presenças do vice-governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, substituindo o governador Sérgio Cabral, do secretário de Estado de Saúde e Defesa Civil, Sérgio Côrtes, e do subsecretário de Defesa Civil e comandante do Corpo de Bombeiros, Pedro Machado. 
Assistência reforçada – Além de doar as vinte ambulâncias que atenderão a região serrana do Rio, o Governo Federal antecipou a implantação do SAMU/192 nas áreas afetadas pelas chuvas, para reforçar a assistência à população atingida. 
O valor total investido na compra dos 20 veículos foi de R$ 2,75 milhões, além de repasse mensal de custeio de R$ 340 mil. O envio das ambulâncias foi acordado entre os governos federal e estadual para atender demandas emergenciais. 
“Nós estamos dando mais um passo no processo de reconstrução com a implantação do SAMU Regional. é fundamental que a gente não olhe as ambulâncias apenas como um equipamento para ajudar as pessoas, mas como uma oportunidade de reorganizar os serviços de urgência e emergência no estado”, avaliou o ministro Padilha. 
Entre as 20 ambulâncias garantidas para a região serrana do Rio, foram entregues 14 Unidades de Suporte Básico (USB) e outras seis Unidades de Suporte Avançado (USA). Elas vão permitir a cobertura de 16 municípios pelo Samu/192, que, após o período crítico, terão bases descentralizadas em Carmo, Bom Jardim, Cordeiro, Cantagalo, Trajano de Moraes, Santa Maria Madalena, Sumidouro, São José do Vale do Rio Preto, São Sebastião do Alto, Macuco, Cachoeiras de Macacu, Duas Barras e Guapimirim. 
Cada USB conta com oxímetro portátil, desfibrilador externo automático e aspirador. As USA, também conhecidas por UTI-Móvel, possuem oxímetro portátil, bomba de infusão, aspirador, ventilador pulmonar, monitor/cardioversor e detector fetal. 
No primeiro momento, as novas ambulâncias vão prestar atendimento em conjunto com as onze ambulâncias de hospitais federais do Rio e outras duas do SAMU Metropolitano II, da região de Niterói, que já atuam em caráter de emergência nas cidades afetadas. 
Por Patrícia Gomes e Gabriel Fialho, da Agência Saúde – Ascom/MS/NERJ
2011-02-07T00:00:00+00:00