MS repassa R$ 1,05 mi para laboratórios públicos

A tecnologia avança de forma a facilitar os processos humanos, principalmente na área de saúde, em que segundos podem salvar vidas. Com a implementação contínua de avanços tecnológicos, como sistemas de gestão hospitalarprontuário eletrônico do paciente e muitos outros, fica mais fácil mapear as necessidades da população. Recursos também são utilizados para diagnosticar mais rapidamente, como mostra a notícia abaixo:

O Ministério da Saúde está destinando R$ 1,05 milhão para equipar os laboratórios centrais de saúde pública dos estados de Alagoas, Amapá, Pará, Rio Grande do Norte, Rondônia, Sergipe e do Distrito Federal. O recurso deve ser aplicado na compra de equipamentos para realização de teste PCR em tempo real, metodologia que permite resultado mais rápido e preciso ao diagnóstico de influenza, dengue e meningite. A portaria 2.329, publicada nesta quinta-feira (10) no Diário Oficial da União, autorizou o repasse de R$ 150 mil para cada Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública) destes seis estados e DF.

O investimento tem como objetivo fortalecer as ações de vigilância laboratorial de Influenza, Dengue e Meningite. “O uso de novas metodologias laboratoriais possibilita melhor monitoramento, diagnóstico precoce e identificação dos vírus circulantes, o que é essencial para a prevenção e controle de doenças”, explica a coordenadora geral de laboratórios, do Ministério da Saúde, Mariana Verotti.

O repasse faz parte da estratégia do ministério de equipar, até 2015, os laboratórios centrais dos 26 estados e do Distrito Federal para processarem exames destas doenças e reduzir, assim, riscos e agravos à saúde da população. O Ministério da Saúde já prestou apoio a 15 estados para a implementação desta técnica em seus laboratórios centrais. Para receber o investimento, às secretarias estaduais e ao Distrito Federal devem adotar infraestrutura adequada e pessoal qualificado para a realização da metodologia.

O Laboratório Central de Saúde Pública desenvolve atividades de vigilância laboratorial em processo de parceria com os sistemas federal, estadual e municipal de vigilâncias epidemiológica, sanitária, ambiental e rede estadual de assistência médica.

Fonte: Saúde Web

2013-10-14T00:00:00-03:00