Medicamentos: brasileiros terão mais opções de compra

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) lançou uma consulta pública para a criação dos medicamentos similares equivalentes. De acordo com o órgão, a medida vai ampliar a oferta ao consumidor, que terá à sua disposição medicamentos que tem sua eficiência comprovada, assim como os genéricos e os produtos de marca.

Segundo o ministro da saúde, Alexandre Padilha, este é um passo importante para ampliar o acesso da população a medicamentos de qualidade. Para ele, a expectativa é positiva, pois quando a competição aumenta no mercado o principal beneficiado é o consumidor.

A proposta da Anvisa é que os similares sejam intercambiáveis com os medicamentos de referência. Isso quer dizer que eles poderão substituir os de referência, desde que tenha tido os produtos de equivalência apresentados e aprovados pela Anvisa. Caso isso aconteça, o benefício que a população já tem com os genéricos será aumentado ainda mais. Com a mesma prescrição o consumidor poderá escolher entre o de referência, similar ou genérico, sem a necessidade de mudança na receita médica.

De acordo com o diretor-presidente da Anvisa, Dirceu Barbano, existe a possibilidade de que os similares cheguem ao mercado ainda este ano. “Todos aqueles produtos que foram renovados nos últimos anos ou que chegaram ao mercado já realizaram os testes”, explicou. Segundo ele, os produtos que poderão ser trocados pelo de referência serão identificados por um selo. Eles deverão incluir em suas embalagens a marca de medicamento Equivalente, simbolizada pela sigla “EQ”.

Atualmente, os genéricos custam 35% a menos do que os produtos de marca. De acordo com Padilha, ele vai defender que a mesma regra seja aplicada aos similares.

2014-01-23T00:00:00-02:00