Homens são maioria no uso de prontuário médico

Uma pesquisa realizada pelo HelpLink – site que possibilita a permanência do prontuário médico pessoal de forma gratuita –  constatou que adultos na faixa etária de 25 a 34 anos são a maioria no uso do prontuário médico pessoal na internet. O levantamento foi feito com uma amostra de cinco mil pessoas cadastradas e mostrou que os homens representam a maior parcela no uso desse tipo de ferramenta: 66% dos cadastrados no serviço são do sexo masculino. A média de acessos ao sistema é de oito vezes por semana.
Segundo dados divulgados, adultos de 25 a 34 anos são 32,10% do total de usuários do HelpLink. Em segundo lugar, entre as faixas etárias que mais utilizam o serviço ficou a dos 35 a 44 anos (21,99%), seguida pelas idades entre 45 a 59 anos (20,87%). Aparecem praticamente empatadas as faixas que compreendem pessoas acima de 60 anos (12,32%) e de 16 a 24 anos (12,72%).  Outro dado importante apontado pela pesquisa é que 69% dos usuários cadastrados apresentam algum tipo de alergia. 5,65% das pessoas cadastradas são hipertensas e 2,02% do total analisado sofrem de diabetes.
De acordo com a instituição, além de utilizar o prontuário para manter seu próprio histórico médico, 11,6% dos usuários utilizam a ferramenta para cuidar da saúde de algum familiar, como filhos e pais idosos. 10% mantêm seu controle de vacinas utilizando a carteira de vacinação online do portal e cerca de 5% utilizam a agenda do sistema para programar visitas médicas, consultas e outros compromissos relativos à sua saúde.
Para o site Helplink, os dados obtidos pela pesquisa são indicadores de que os homens estão se preocupando cada vez mais com a saúde. Outra questão é que o fato de a maioria dos usuários estarem na faixa dos 25 aos 34 anos é um indicador importante que possibilita ao usuário manter seu histórico médico na internet gratuitamente.
Isso porque para a empresa, essa é uma faixa etária em que muitas pessoas enfrentam o stress em razão de uma vida profissional ativa, e também começam a formar família e ter filhos. Por esses motivos, passam a se preocupar mais com a saúde. As análises mostram que manter o histórico de alergias no prontuário médico pessoal é uma segurança a mais para o alérgico.
Fonte: Saúde Business Web
2011-04-27T00:00:00-03:00