Entrevista: Marizélia Leão Moreira

2014-03-10T00:00:00-03:00 10/03/2014|
O prazo para a implantação da TISS 3.0 foi adiado pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) e a ainda não possui uma nova data para que isso aconteça. Em entrevista à Wareline Conecta, a gerente de padronização e interoperabilidade da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), Marizélia Leão Moreira, fala sobre esse ponto e também esclarece outras questões do novo padrão. Confira a íntegra da entrevista abaixo:
WCONECTA: Qual o prejuízo que as instituições de saúde que não tem seu ERP adaptado ao padrão 3.0 da TISS podem sofrer?
Marizélia: Caso a instituição não tenha em seu sistema de gestão todos os dados necessários à troca de informações com as operadoras de saúde, esta instituição deverá ter outra aplicação que faça este papel. Ou seja, que converta as
informações do seu sistema de gestão para o padrão de troca de informações obrigatório. Por outro lado, entendemos que a adaptação nos sistemas de gestão que vise atender um padrão de informações único entre a instituição de saúde
e todas as operadoras parceiras deve ser entendido como uma progressiva diminuição de custos e eliminação de retrabalho, para ambas as partes.
WCONECTA: Qual a importância da participação da sociedade no processo de elaboração deste novo padrão?
Marizélia: A consulta pública é uma ferramenta que visa, além de dar publicidade a uma normatização ainda em fase de construção, a oportunidade a que qualquer cidadão, direta ou indiretamente interessado no assunto, possa se pronunciar e ter suas contribuições avaliadas pelo órgão regulador. Trata-se, portanto, de uma ferramenta democrática e transparente para a participação da sociedade. A importância desta participação reside no fato de que são tratadas as várias visões sobre um mesmo tema.
WCONECTA: As 16 mil contribuições foram suficientes para criar o novo padrão ou a expectativa de participação da população era maior?

Marizélia: A consulta pública realizada para receber as contribuições da sociedade sobre a nova versão do Padrão TISS foi a de maior volume de contribuições que tivemos na ANS. Recebemos 16.156 contribuições de vários setores, a saber: operadoras, prestadores de serviços, consumidores e gestores, dentre outros representantes. Tivemos uma participação bem qualificada, com a qual pudemos colher várias sugestões para a evolução do padrão.
WCONECTA: Por que o prazo para implantação do novo padrão foi adiado? Está previsto algum período de testes e adaptações para a implantação junto às operadoras?

Marizélia: A versão do padrão publicada em outubro de 2012 está sofrendo uma atualização, em razão de alguns ajustes identificados pelo mercado, além de uma ampliação da terminologia de órteses, próteses e materiais especiais. De acordo com o previsto na Resolução Normativa 305, o prazo para implantação desta nova versão a ser disponibilizada não deverá ser inferior a três meses após sua publicação. Os testes deverão ser realizados pelas operadoras em 
conjunto com seus prestadores de serviços a partir do momento que estes se considerem em condições de iniciar esta etapa.
WCONECTA: Como este novo padrão pode ajudar a traçar um perfil mais completo do sistema de saúde brasileiro, incluindo o SUS e planos privados?

Marizélia: Com a implantação deste novo padrão, a ANS passará a ter, mensalmente, todos os dados recebidos pelas operadoras de planos de saúde referentes aos eventos registrados pelos prestadores de serviços. A médio prazo, a ANS terá condições de contribuir, em conjunto com o Ministério da Saúde, na averiguação do perfil epidemiológico da população brasileira.
WCONECTA: A partir das informações geradas pela TISS 3.0, quais ações podem ser planejadas para melhorar sistema de saúde?

Marizélia: Com o envio das informações para a ANS, o governo pode identificar o perfil epidemiológico da população
de beneficiários de planos privados de saúde. Esta informação subsidia ações de saúde tanto do governo brasileiro, em suas três esferas, quanto do setor de saúde suplementar.
Texto publicado originalmente na revista Wareline Conecta – edição 5