Conheça as ações mais populares para reduzir custos

Reduzir custos, aumentar o faturamento, diversificar as fontes pagadoras, internar mais pacientes sem aumentar o número de leitos – esses são só alguns dos desafios enfrentados diariamente pelos executivos do setor saúde.
Perguntamos aos participantes do Referências da Saúde 2014 quais as ações que eles realizavam para controlar custos e, em todos os segmentos (hospitais, operadoras, empresas de homecare e centros diagnósticos) destaca-se a revisão de processos internos. Outro aspecto importante apontado no estudo é a necessidade de gestão e controle sistematizados de estoques e produção.
Quanto ao desempenho, 69% dos hospitais informaram taxas de ocupação adequadas (entre 71 e 90% dos leitos). Abaixo disso, o hospital tem uma ociosidade dos recursos físicos e humanos. Acima desses valores, há uma sobrecarga da equipe e pode prejudicar a qualidade do serviço prestado: o leito precisa ficar vazio para ser higienizado e passar por manutenções periódicas.
No quesito faturamento, notamos uma forte participação do pagamento particular no segmento de diagnóstico, o que não acontece nos hospitais por diversas barreiras: alto custo do serviços prestados e dificuldade de prever o custo final da internação nos casos de urgência e emergência, por exemplo.
Outro aspecto muito importante é a sinistralidade das operadoras de planos de saúde, que corresponde ao percentual gasto de tudo que foi arrecadado. O melhor desempenho foi o das operadoras do tipo medicina de grupo.
Fonte: Saúde Business
2015-08-12T00:00:00-03:00