CCIH: um auxílio no controle da KPC

2014-04-08T00:00:00-03:00 08/04/2014|

Toda ação gera uma reação. Essa frase tão conhecida de Isaac Newton serviu para explicar os conceitos básicos da física. No entanto, essa linha de raciocínio também pode ser aplicada em outras esferas da vida. Na área da saúde, por exemplo, pode-se dizer que o uso indiscriminado de antibióticos criou a KlebsiellaPneumoniaeCarbapenemase, mais conhecida como KPC. A bactéria tem sido um problema para diversas instituições do país e também do mundo.

Ela é restrita ao ambiente hospitalar e possui propriedades inibidoras dos antibióticos. Seu aparecimento está diretamente relacionado ao uso indiscriminado de medicamentos como cefalosporinas de terceira geração, por exemplo.


A KPC tem a capacidade de se multiplicar rapidamente, por isso é preciso um controle rígido para evitar que a contaminação seja maior.  Diante de uma situação como essa, a CCIH (Comissão de Controle de Infecção Hospitalar) tem um papel essencial. Para auxiliar nesse processo, o sistema de gestão hospitalar da Wareline possui o módulo CCIH, que
foi desenvolvido para auxiliar na gestão de aplicações das rotinas de controle de infecção hospitalar.

A ferramenta tem como maior diferencial a integração com os outros módulos do sistema hospitalar, reduzindo
os erros de digitação e antecipando a tomada de decisões da comissão de infecção.

Veja abaixo algumas das funcionalidades do módulo CCIH:

– Integra-se ao módulo de Internações Hospitalares, de onde busca, além dos dados do paciente e da internação, todos os indicadores hospitalares mensais como pacientes-dia, média de permanência e transferências internas de setor e serviços;

– Integra-se aos módulos de Prescrição Eletrônica e Farmácia, de onde importa os consumos de antimicrobianos dessas internações;

– Integra-se ao módulo de Centro Cirúrgico/Obstétrico, de onde importa todos os detalhes sobre as cirurgias realizadas nessas internações;

– Integra-se ao módulo de Laboratório de Análises Clínicas, de onde importa os resultados dos antibiogramas e culturas;

– Permite que o próprio usuário do módulo CCIH registre essas informações sem importar dos outros módulos ou então corrija e/ou complemente aquilo que foi importado;

– Disponibiliza, em vários relatórios, as taxas de infecção e outros indicadores apurados, compatíveis com os padrões NNISS para as topografias cirúrgicas, UTIs e berçários de alto risco.