Campanha de prevenção da dengue e chikungunya começa sábado (15)

A partir deste sábado (15), o Ministério da Saúde inicia a Campanha Nacional de Prevenção contra a dengue e a febre chinkungunya. As duas doenças são causadas por vírus transmitidos por mosquitos do gênero Aedes, sendo o Aedes aegypti o principal vetor.
A iniciativa contempla a divulgação de orientações sobre como evitar a proliferação dos mosquitos Aedes aegypti , além de alertas sobre a gravidade das enfermidades. 
No dia 6 de dezembro, será realizado o Dia D de mobilização. O Ministério da Saúde convocará os gestores municipais a realizarem uma intensa mobilização da população, além de mutirões de limpeza urbana e atividades para alertar os profissionais da área ao diagnóstico correto das doenças. 
Como cerca de 80% dos criadouros estão nas residências, o papel de cada família, para verificar e eliminar possíveis locais que acumulam água, será reforçado nesse dia D. A ação será repetida no dia 7 de fevereiro, com o Dia D+1.
Campanha Nacional de Prevenção tem o objetivo de combater focos de proliferação do mosquito aedes argypti
LIRAa
De acordo com as últimas informações do Mapa da Dengue, ou Levantamento Rápido do índice de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa), o Ministério da Saúde constatou que 125 cidades brasileiras estão em situação de risco para a ocorrência de epidemias de dengue, 552 estão em alerta e 847 cidades apresentam índice satisfatório.
Com capacidade para identificar bairros onde há focos de reprodução do mosquito transmissor da doença, a pesquisa é considerada um instrumento fundamental para orientar as ações de controle da dengue, o que possibilita aos gestores locais de saúde anteciparem as ações de prevenção.
Chikungunya
Até outubro de 2014, foram registrados 824 casos de chikungunya no Brasil, sendo 39 importados. São 330 casos em Oiapoque, 371 em Feira de Santana, 82 em Riachão do Jacuípe, 1 em Matozinho e 1 em Campo Grande. Quarenta e sete países apresentam hoje casos de chikungunya.
A letalidade da chikungunya, segundo a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), é rara, sendo menos frequente que nos casos de dengue.
Fonte: Portal Brasil
2014-11-14T00:00:00-02:00