Autorizações para Internação Hospitalar: entenda o novo sistema

2013-09-23T00:00:00-03:00 23/09/2013|
Os sistemas de gestão hospitalar trouxeram muitas facilidades para o aperfeiçoamento de processos dentro das instituições de saúde. O faturamento dos procedimentos é um dos fatores englobados por essas tecnologias. As Autorizações para Internação Hospitalar (AIH), um dos módulos do sistema da Wareline, tiveram seu modo de preenchimento alterado por uma determinação do governo. Veja abaixo quais as mudanças:
O Ministério da Saúde está modificando o preenchimento das Autorizações para Internação Hospitalar (AIH), aprimorando assim o sistema de controle sobre o pagamento de internações realizadas no Sistema único de Saúde (SUS). A partir de fevereiro de 2014, o preenchimento das AIHs exigirá que a unidade cheque, de forma online, as informações do paciente (como nome, filiação e endereço) junto à base nacional do Cartão Nacional de Saúde (Cartão SUS), com 140 milhões de registros válidos.
As novas regras constam na portaria publicada no dia 09 de setembro e garantirá que os dados fornecidos ao Ministério pelos hospitais sejam condizentes às informações indicadas pelo paciente durante atendimento no serviço de saúde. “Desde 2011, estamos aperfeiçoando nosso sistema de informações e controle sobre o banco de internações, justamente para coibir irregularidades e falhas. Os hospitais que não se adequarem às medidas ficarão impedidos de comprovar os atendimentos e, consequentemente, não receberão os recursos. Por ano, são efetivadas no SUS mais de 11 milhões de internações. Com o preenchimento online de parte da AIH, estamos avançando para mais uma fase de controle desses dados”, afirmou diretor do Departamento de Regulação, Avaliação e Controle do Ministério da Saúde, Fausto Pereira dos Santos.
O novo sistema (SISRCA) será disponibilizado pelo Ministério da Saúde aos gestores a partir de dezembro deste ano e o seu uso deverá ser obrigatório a partir de fevereiro. Com isso, os operadores do sistema terão dois meses de adaptação e os hospitais deverão empregar equipamento online para ingressar os dados no sistema e consultar a base nacional. “Essa ação impedirá possíveis irregularidades como o registro de internação de pacientes que foram a óbito, duplicidade no registro de AIH e cadastro de procedimentos incompatíveis com o sexo do paciente e as várias autorizações de internação para uma mesma pessoa”, garante o diretor. As informações castradas no sistema nacional serão cruzadas com outros bancos de dados do Ministério da Saúde, como o Sistema de Informações de Mortalidade (SIM).
Como funciona – Ao informar o número do Cartão SUS do paciente no registro da AIH, procedimento obrigatório desde 2012, o novo sistema vai preencher os dados de identificação do cadastro desse usuário automaticamente, por meio de busca na base de dados do Cartão.
Caso haja alguma informação divergente da base de dados do Cartão SUS, o gestor local poderá fazer a correção, mas constará no sistema o registro de qual alteração foi realizada, quando e por quem. Contudo, algumas informações, como nome, filiação, sexo e CPF não podem ser alteradas, pois estão vinculadas à base de dados da Receita Federal.

Confira um vídeo com simulação de preenchimento das Autorizações para Internação Hospitalar

Fonte: Blog da Saúde