Apenas 6,83% dos candidatos ao Revalida 2013 foram aprovados

Os médicos do Brasil que estudaram em instituições estrangeiras passam por um Exame Nacional para validar o diploma no país, verificando se estão aptos a trabalhar com a saúde, pública e privada, com hospitais com sistemas hospitalares e outros fatores. Porém, a segunda fase do Revalida aprovou somente 109 profissionais de um total de 1.595 médicos. Confira a notícia:

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou, em 23 de dezembro, os resultados da segunda fase do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos expedidos por Instituição de Educação Superior Estrangeira (Revalida), de 2013. Apenas 6,83% dos participantes foram aprovados.

Esta edição do Revalida contou com a participação de 1.595 médicos. Na primeira fase (provas objetiva e discursiva), somente 155 do total de participantes foram classificados para a segunda etapa (habilidades clínicas), na qual os participantes realizaram simulações de atendimento médico. Destes, 111 fizeram o exame, porém 109 tiveram aprovação e o diploma revalidado.

A maioria dos profissionais médicos recém-habilitados a trabalhar no país é composta por brasileiros (50).

Com relação à origem do diploma, Bolívia, Cuba e Paraguai tiveram 33, 14 e 14 diplomas revalidados, respectivamente. Desta forma, representam 55% do total de aprovados na avaliação de habilidades clínicas do Revalida 2013.

Revalida – A
 avaliação é dirigida a médicos formados por instituições estrangeiras interessados em trabalhar no Brasil. Criado como estratégia de unificação nacional do processo, o Revalida utiliza parâmetros a formação médica no país, de com as Diretrizes Curriculares Nacionais dos cursos de Medicina. Desde 2011 é aplicado anualmente.

Dados incompletos  O CFM solicitou detalhamento sobre o perfil dos candidatos e dos aprovados no Revalida, mas o Inep o não atendeu ao pedido.

Fonte: CFM

2014-01-20T00:00:00-02:00