Acreditação hospitalar pode ser obrigatória

Elevar a qualidade do atendimento prestado aos pacientes é o principal motivo da existência da acreditação hospitalar, um tipo de avaliação pela qual passam as instituições de saúde que garante sua adequação a regras pré-determinadas. Apesar de ser amplamente conhecida pelas instituições, sua adoção no país ainda é mínima. Tentando reverter essa situação, está em tramitação um projeto de lei (PL) que visa à obrigatoriedade do procedimento para todas as unidades hospitalares, sejam elas públicas ou privadas.

De autoria do senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), o PL 126/2012 não determina qual processo será adotado para a avaliação, pois de acordo com o texto do projeto “existem diferentes caminhos que podem ser trilhados na busca da melhoria da qualidade”. No Brasil, existem diversos tipos de metodologias de avaliação como as normas ISO, Prêmio Nacional de Qualidade, método Balanced Scorecard, entre outras. A certificação ONA (Organização Nacional de Acreditação), entretanto, é a mais utilizada e considerada a mais completa, pois integra iniciativas de outros processos.

Outra questão que também fica sem definição é de quem será a responsabilidade pelo processo de avaliação. Em alguns países essa tarefa fica a cargo do governo, o que não acontece no Brasil. A obrigatoriedade para fazer a avaliação, no entanto, abre precedente para esta discussão.

Investimento

O impacto econômico da medida é um fator importante, já que o custo particular para receber a certificação pode ser considerado alto. De acordo com a principal agência internacional de acreditação, a Joint Commission International (JCI), o valor médio é de US$ 46 mil, levando em consideração o cenário de 2010.  Mas o investimento pode variar de acordo com o tamanho e a complexidade da unidade hospitalar.

Vantagens

Atualmente, existem benefícios para os hospitais acreditados, como linhas de crédito com condições especiais oferecidas pelo Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), garantido pela norma 636/2002. Ainda na linha dos benefícios econômicos, a instituição pode negociar com as fontes pagadoras com base em dados relativos à qualidade do atendimento.
As unidades certificadas elevam a sua credibilidade junto à população e criam um ambiente mais agradável aos colaboradores, onde a preocupação com a segurança e a qualidade do acolhimento aumenta.
Estar de acordo com as regras estabelecidas para a cerificação otimiza e agiliza os processos e cria a cultura de aprimorá-los a cada dia por meio das análises de relatórios elaborados regularmente. Assim, a instituição continua em constante evolução.
A tecnologia pode ser uma aliada no processo de acreditação. Especializada no oferecimento de soluções para o setor de saúde, a Wareline colabora para a certificação. Seu sistema proporciona a melhoria da gestão de recursos, acesso rápido e fácil às informações e possibilita a geração de relatórios gerenciais e estatísticos integrados.
Texto publicado originalmente na revista Wareline Conecta – edição 3

2013-07-30T00:00:00-03:00