A importância dos registros de enfermagem

2018-07-09T17:12:47-03:00 03/01/2017|
A enfermagem produz, diariamente, um montante de informações inerentes ao cuidado dos pacientes, sendo possível estimar que estes registros alcancem mais de 50% de toda informação contida no prontuário do paciente.
Gerenciar este número de informações, que a cada dia cresce, torna-se uma tarefa árdua, pois algumas anotações são ilegíveis, subjetivas e por vezes, inconsistentes em função da ausência de metodologia estruturada no prontuário do paciente em papel.
Um dos principais objetivos do prontuário eletrônico é tornar essas anotações legíveis e consistentes, permitindo que os dados sejam unificados em um só ambiente, além de priorizar a segurança do paciente. A enfermagem, como membro da equipe de saúde, deve participar ativamente do processo de discussão e de informatização dos dados referentes ao atendimento em saúde, a fim de assegurar a inclusão de dados relevantes aos processos de trabalho. Isso porque são as anotações desses profissionais que fornecem informações que irão subsidiar o enfermeiro no estabelecimento do plano de cuidados/prescrição de enfermagem, suporte para análise reflexiva dos cuidados ministrados, respectivas respostas do paciente e resultados esperados e desenvolvimento da Evolução de Enfermagem.
Por outro lado, além de representarem maior segurança para pacientes, os registros no prontuário também são considerados como documentos legais de defesa do enfermeiro; devendo, portanto, estarem imbuídos de autenticidade e de significado legal. Os mesmos refletem todo o empenho e força de trabalho da equipe de enfermagem – valorizando, assim, suas ações. Se todos entenderem que esses são parte integrante do processo de enfermagem e que constituem uma ferramenta imprescindível para a prestação do cuidado com o indivíduo, perceberão nele um aliado para respaldar a prática da enfermagem e toda equipe de saúde.
Como em todo processo de transformação e mudança, a transição do Prontuário do Paciente de manuscrito para eletrônico requer a cumplicidade da Equipe de Saúde com a Equipe de Tecnologia da Informação, para que sejam contemplados todos os aspectos técnicos, éticos e legais, e ainda possibilitar que esta ferramenta auxilie na qualidade e segurança ao paciente e ao profissional.
Cleide Mazuela - COFEN
“A enfermagem deve participar ativamente do processo de discussão e de informatização dos dados referentes ao atendimento em saúde, a fim de assegurar a inclusão de dados relevantes aos processos de trabalho”, afirma Cleide Mazuela Canavezi, colabora do COFEN (Conselho Federal de Enfermagem).
Veja a opinião da profissional na íntegra na revista Conecteinfo, edição 13.
Descubra como o módulo PEP da Wareline garante a segurança no Instituto de Neurologia de Goiânia (ING). Se quiser saber mais sobre este e outros módulos, fale com a gente!