19 3797.0600

Notícias

29/08/12

CIOs de saúde dizem que investimentos em TI são executados conforme planejado

Estudo aponta que 53% das instituições do setor estão executando os investimentos e iniciativas conforme o planejado
Realizado pela IT Mídia, o estudo “Antes da TI, a Estratégia em Saúde” apontou que 53% das instituições do setor estão executando os investimentos e iniciativas conforme o planejado, mas ainda há dificuldades para implantar as estratégias e, por isso, a TI acaba sendo percebida como um gargalo. “Isso se deve a fatores como grau de automação insuficiente, processos dependentes de pessoas, integração inadequada dos sistemas e muitas planilhas para dar conta das informações”, comenta o consultor Sergio Lozinsky, parceiro da IT Mídia na pesquisa.

Os CIOs que participaram do debate sobre este assunto no Intercâmbio de Ideias do IT Forum+ apontam, como fator de risco interno à implementação da estratégia, a resistência às mudanças. “Eventualmente, a TI não está contemplada nas macroestratégias das instituições de saúde. Esta resistência às mudanças soa como um lamento do CIO à estratégia organizacional, ainda mais do que algum tipo de restrição dos usuários”, pondera o gerente de TI do Hospital Samaritano de São Paulo, Klaiton Simão.

Entre os fatores externos de risco está a falta de mão-de-obra qualificada, apontada por 53,55% dos profissionais que responderam à pesquisa. Além disso, os executivos percebem o impacto da chegada das novas gerações ao mercado de trabalho e o impacto que a TI pode ter na captação e retenção de talentos. “A Geração Y demanda TI sob o aspecto do RH. Estas pessoas não querem se enquadrar nas regras da empresa e querem acesso às redes sociais, possibilidade de personalização do fundo de tela e do próprio local de trabalho, etc. Por isso, a TI e as políticas de uso destas ferramenas têm influência na decisão de permanecer ou não no cargo”, diz o gerente de TI do Hospital Santa Catarina, Aécio Rodrigues da Rocha.

Estratégico ou crítico?

O estudo aponta que a TI parece fazer parte dos planos estratégicos das organizações de saúde: 52% dos profissionais que responderam à pesquisa se dizem ligados à presidência, 40,79% afirmam que a instituição vê TI como estratégico e, embora busque retorno sobre os investimentos realizados, cobra de TI uma postura de inovação e aplicação de novas tecnologias que tornem os negócios mais competitivos e inovadores, e 49,01% preparam o orçamento com base na estratégia de TI em vigor e o submetem à diretoria, para aprovação e eventuais ajustes.

Na visão dos CIOs, porém, pode haver uma confusão entre o entendimento do que é estratégico e o que é crítico. “Um caso que justifica esta resposta, por exemplo, é o investimento no parque tecnológico da área de diagnóstico. O gestor não tem a intenção, mas precisa investir em TI para suportar estes equipamentos. Ele não acha que investir em TI é diferencial competitivo ou valor estratégico, mas entende que este é um recurso necessário para o dia a dia da operação”, exemplifica o diretor de TI do Hospital das Clínicas da Unicamp, Edson Kitaka.

“Em saúde, o perfil de TI é de formação técnica e não estratégica. O profissional de TI é aquele que atua no desenvolvimento e atendimento da demanda dos usuários, suporte e resolução de problemas e a distância entre o CIO e a equipe ainda é muito grande”, complementa o presidente da Sociedade Brasileira de Informática em Saúde (SBIS), Claudio Giulliano da Costa, também parceiro da IT Mídia no estudo.


Grau de informatização

A pesquisa traz também um cenário sobre o uso de tecnologia no setor: 59,57% das organizações já implementou um ERP e possui algumas aplicações em BI, mas ainda depende de planilhas e aplicações legadas limitadas para suportar os processos do negócio.

Neste ano, 68,79% afirmam que vão comprar soluções estratégicas e, destes, 44% veem o investimento em Segurança da Informação como prioritário. A prescrição eletrônica é utilizada por 62% dos respondentes, o Prontuário Eletrônico do Paciente, por 59%, e, o sistema de apoio à decisão, por 61%.

Apesar do uso intenso destes sistemas, apenas 38% dos CIOs consideram que estas ferramentas atendem totalmente às necessidades do negócio e 45% acham que o fornecedor de TI é satisfatório para atender  demandas mais urgentes, mas pouco pouco efetivo nas questões estratégicas.

Fonte: Saúde Web
 atasehir escort maltepe escort jigolo jigolo kartal escort kurtkoy escort pendik escort porno Kamagra Jel rokettube şarkı indir kaçak bahis porno izle jigolo olgun dul bayanlar istanbul jigolo sitesi seks hikayeleri jigolo sitesi hd porno rokettube brazzers porno sex izle sex izle escort antalya escort antalya escort antalya escort antalya escort bayan konya escort bayan porno izle porno izle