Santa Casa de Jales implanta sistema de digitalização de arquivos

( na imagem acima, Rosevaldo Roque da Silva (gestor Serviço de Prontuário), Claudia Cristina Secchi Vianna (colaboradora do setor SPP) Junior Ferreira (provedor em exercício), Alexsander Teodoro da Cunha (colaborador do setor SPP)

 

Digitalizar documentos é uma realidade de muitas organizações de saúde, em especial as que buscam mais agilidade na localização de informações, ao mesmo tempo em que querem garantir a sua segurança. Lidar com documentos que devem ser arquivados, muitos deles confidenciais por terem informações ​sigilosas de pacientes tem sido uma preocupação constante do setor de saúde.

É o caso da Santa Casa de Jales, que desde abril deste ano digitalizou seus documentos contando com o GED (Gerenciamento Eletrônico de Documentos), ferramenta desenvolvida pela Wareline que permite o gerenciamento e indexação de documentos do paciente. Isso quer dizer que laudos, exames de imagem, entre outros itens poderão ser escaneados e agregados ao prontuário, facilitando e agilizando a localização das informações da Santa Casa.

Entre os benefícios proporcionados pelo GED tem destaque a rapidez na consulta de prontuários e a organização do SAME (Serviço de Análise, Métricas e Estatísticas). Além disso, com o seu uso o hospital pode armazenar os documentos físicos em lugares mais distantes, reduzindo a necessidade de ampliação dos arquivos. “Aqui na Santa Casa o GED tem sido bastante importante para a organização de prontuários médicos, disponibilização instantânea de documentos e agilidade em processos legais, nos quais é fundamental o cumprimento de prazos”, afirmou o gestor do serviço de prontuário, Rosevaldo Roque da Silva.

Para o provedor em exercício da instituição, Junior Ferreira, os benefícios não estão agregados apenas ao hospital, mas também à segurança do paciente. “Manter um arquivo digital de documentos é benéfico para o paciente no sentido de agilizar a busca de todo o conteúdo e, consequentemente, ajudar nas tomadas de decisões assistenciais e administrativas”.

“Buscamos nos respaldar de todos os aspectos jurídicos, os sistemas certificados, pesquisas de cases de sucesso, além do custo e benefício. Após essas análises, optamos pelo GED do sistema Wareline, que já estava integrado ao sistema de gestão hospitalar implantado”, detalhou o gestor do serviço de prontuário, Rosevaldo Roque da Silva.

 

Paulo Eduardo Goulart, Analista de Sistemas da Wareline, argumenta que, com o GED, todos os arquivos digitalizados podem ser indexados automaticamente ou manualmente e ficam gravados em um banco de dados, por isso podem ser apagados da estação de escaneamento depois de sua inclusão no gerenciador – mas sempre tendo o documento original guardado, ainda que não na instituição. “Além de possuir uma integração nativa com o sistema da Wareline, a ferramenta pode ser integrada a qualquer banco de dados, como Oracle, SQL Server, MySql, entre outros”, explica.

Você é cliente Wareline e ainda não tem o GED na sua instituição?  Entre em contato!

2017-10-09T13:24:01-03:00