Hospital de Divinolândia tem gestão rigorosa do estoque

Uma boa gestão e controle dos suprimentos e medicamentos é essencial dentro das instituições de saúde que prezam pela qualidade de seus processos. Neste sentido, a tecnologia colabora para a realização do trabalho, permitindo um maior domínio sobre a entrada e saída de itens do estoque, fazendo com que a administração de remédios aos pacientes e a necessidade de repor ou não produtos essenciais para o funcionamento da instituição sejam sistematicamente monitorados.

O Hospital Regional de Divinolândia, administrado pelo Consórcio de Desenvolvimento da Região de São João da Boa Vista (CONDERG), é um exemplo de instituição que utiliza a tecnologia a seu favor neste processo. Cliente da Wareline desde 1994, o hospital atende a 16 municípios da região de São João da Boa Vista, utiliza o módulo “estoque” para fazer a gestão de seus medicamentos e materiais.

Antes da informatização o estoque da instituição era controlado por fichas amarelas de entradas, e baixas manuais e mensais. A dispensação de medicamentos era realizada de forma totalizada. Havia subestoques espalhados pelos setores do hospital sem controle de quantidade e do modo de armazenamento.

“Com relação ao controle de estoque podemos evidenciar que com a informatização foi possível centralizamos o estoque. Passamos a ter maior confiabilidade no volume estocado e movimentado, além de dados informativos sobre nosso consumo médio mensal, o que possibilitou uma melhor avaliação na reposição, reduzindo compras em excesso e perdas por vencimento”, explica a diretora técnica da instituição, Rosalina Dias.

Ainda de acordo com a profissional, a farmácia tem se consolidado como sendo um dos fortes apoios da gestão na busca da qualidade dos serviços prestados, na agilidade do atendimento e segurança do paciente. O sistema de gestão hospitalar da Wareline foi a ferramenta utilizada para dar suporte informatizado neste processo. “Iniciamos timidamente com controle de estoque, entradas, saídas e evoluímos para a dose unitária com rastreabilidade dos medicamentos utilizados”, completa a diretora.

Para auxiliar o hospital em suas reais necessidades, algumas parametrizações foram realizadas no sistema conforme as necessidades foram sendo apontadas. Atualmente, 100% das movimentações do estoque são realizadas no sistema por paciente e centro de custo. Isso possibilitou a apuração do custo hospitalar e a implantação do sistema de apuração de custos.

“Iniciamos a apuração do custo hospitalar em 2010. Após análise crítica dos resultados, sentimos a necessidade de realizar minuciosa revisão dos parâmetros, dos rateios, dos cadastros dos centros de custo com objetivo de apurar com mais fidelidade o Custo da Unidade de Serviço Prestado por Centro de Custo. Este refinamento permitiu a apuração do custo atual que é utilizado na gestão hospitalar”, finaliza Rosalina.

2017-10-31T15:32:37-02:00